Home Américas Copacabana: o ponto de partida para visitar as ilhas bolivianas do Lago Titicaca

Copacabana: o ponto de partida para visitar as ilhas bolivianas do Lago Titicaca

por Gabriela Mendes
Copacabana: o ponto de partida para visitar as ilhas bolivianas do Lago Titicaca

Copacabana é a porta de entrada para as Ilhas do Sol e da Lua – Islas del Sol y de la Luna, parte boliviana do Lago Titicaca. A cidade, que está a mais de 3800 metros acima do nível do mar,  fica na fronteira entre Peru e Bolívia, a 154km de La Paz.

Sem dúvidas é um destino que não pode faltar no seu roteiro, mesmo tendo visitado a parte peruana do lago, nas ilhas de Uros, Taquile e Amantani, já que reserva paisagens com uma beleza bem diferente das vizinhas. Pensando nisso, montamos um guia completo.

Quando ir, onde se hospedar, o que e onde comer, quanto tempo ficar: neste post você encontra tudo sobre essa cidade mística da Bolívia.

Saiba mais sobre Copacabana

DSC_0458

O clima de Copacabana é místico e bem intrigante, já que o local é o santuário religioso mais famoso da Bolívia, tanto para quem cultua o xamanismo, quanto para os católicos. Eu explico: o nome da cidade em quechua, “Qopaqhawana” vem do nome do ídolo que era cultuado no lugar no período pré-incaico. Com a chegada dos incas, os cultos foram transferidos para as Islas del Sol e de la Luna. Porém, após a dominação espanhola, em 1583, esses cultos foram vistos como pagãos e a população local passou a adorar a imagem da Virgem Maria, padroeira de Qopaqhawana, ou Copacabana para quem preferir. 🙂

Séculos depois, em 1892, nasce a Copacabana carioca. O mais curioso é que a origem do nome foi inspirada na cidade boliviana, já que uma réplica da imagem da Virgem Maria foi enviada para uma capela no Rio de Janeiro, dando nome ao famoso bairro.

O que fazer em Copacabana

Como a cidade é bem pequena, é difícil de se perder. A movimentação se concentra na Plaza 2 de Febrero, onde ficam vários restaurantes e hotéis. As agências que fazem passeios e vendem passagens de ônibus se concentram na Av. 6 de Agosto. A minha dica é que o destino seja um ponto de parada para descansar, antes de seguir para o Lago Titicaca ou La Paz. As principais atrações são:

Conhecer as Islas del Sol e de la Luna

Sem dúvidas as ilhas são o principal motivo de sua viagem até Copacabana – apesar da cidade ser uma gracinha.

  • Dois dias e uma noite: a melhor opção, dá para fazer tudo curtindo com calma e conhecer todas as atrações, inclusive a trilha que atravessa as duas ilhas.
  • Um dia inteiro: uma boa opção para ter um bom panorama, mas se você escolher essa opção, provavelmente não vai ter tempo de fazer a trilha que cruza os dois lados das ilhas
  • Meio dia: não recomendo, porque fica uma visita muito superficial. Mesmo que você tenha pouco tempo na sua viagem, reserve pelo menos um dia inteiro para este passeio

Saiba todas as informações para visitar as Islas del Sol y de la Luna aqui

Monte do Calvário

O mirante, que fica dentro da cidade, tem uma vista maravilhosa do Lago Titicaca e de Copacabana. O lugar é sagrado e muito procurado na Sexta-feira Santa, quando peregrinos vêm simular a chegada de Jesus Cristo à cruz. Se você é turista e não tem nenhum pecado a pagar, vá com calma, já que a altitude vai acabar com o seu fôlego. 🙂 Não esqueça as folhas de coca para o caminho! E, se quiser saber mais sobre como prevenir o mal de altitude, veja esse post.

Catedral de Nossa Senhora de Copacabana

A igreja é um ponto importantíssimo na cidade, porque guarda a imagem da Virgem Maria. Ela também chamada de Virgem Morena, já que a santa tem traços indígenas, que se assemelham aos povos tradicionais. A arquitetura é bem bonita, vale a visita.

DSC_0456

Além disso, é muito curioso observar o Batismo dos Carros que acontece no local. Isso mesmo que você leu: as pessoas percorrem quilômetros e quilômetros para batizarem seus veículos em frente à Catedral. Carros, caminhões, vans, são enfeitados com guirlandas de flores, benzidos por um padre. O ritual pode ser acompanhado de cerveja e fica com ainda mais fila nos finais de semana e feriado. Não deixe de observar e tirar algumas fotos.

DSC_0453

O padre benzendo o carro da família

Onde se hospedar em Copacabana

Aproveite que a Bolívia é um destino bem barato e fique em uma pousada confortável. Eu me hospedei no La Cupula, um hotel bem gostoso que fica um pouco afastado do centro, com uma vista bem bonita do Lago Titicaca. A diária de um quarto de casal custou R$80, com café da manhã incluído.

IMG_2451

Jardim do La Cupula

Outras opções bem recomendadas são o Utama, para mochileiros, e, para quem quer conforto, os hotéis Onkel Inn Torres de Copacabana e Hotel Rosario Lago Titicaca.

Se for chegar tarde da noite, não esqueça de avisar ao seu hotel, já que eles estão acostumados a fechar à meia noite.

Onde comer

Quando planejei meu mochilão pela Bolívia, ouvi muitas pessoas falarem que certamente eu iria passar mal com a comida em algum momento da viagem… e, infelizmente, elas estavam certas. A alimentação no país é gostosa, mas é preciso tomar cuidado e sempre comer em lugares recomendados.

Um dos que eu amei foi o El Condor & The Eagle Cafe, um restaurante que mistura gastronomia natural e irlandesa. Outras recomendações são o La Orilla (delicioso!) e o restaurante do hotel em que fiquei, o La Cupula.

IMG_2459

Como chegar e se locomover

Saindo de Puno, no Peru, são 145km, cerca de 3h de viagem. Há ônibus em vários horários na rodoviária da cidade e custam, em média, R$29. Se você vem de uma cidade peruana, tem que fazer a imigração, que fica bem próxima a cidade e, dependendo da fila, pode demorar.

Saiba tudo sobre Puno aqui.

De La Paz, na Bolívia, são 160km, o que dá 4hrs de viagem. A viagem também é feita por várias empresas de ônibus que saem da rodoviária da cidade e os preços giram em torno de R$27.

Uma alternativa aos ônibus, que costumam ser bem desconfortáveis, é fechar com uma van nas agências de viagem. Mas sempre se assegure que a empresa é legalizada e  recomendada para não ter problemas no caminho.

Na cidade em si a locomoção é bem simples. Como Copacabana é bem pequena, tudo pode ser percorrido a pé, mas se a altitude tirar seu fôlego, há mototáxis.

DSC_0457

A orla do Lago Titicaca na cidade

Quando ir

A melhor estação para conhecer Copacabana e as outras cidades no Peru e na Bolívia sempre é durante o inverno, entre os meses de maio e setembro. Porém, eu fui no verão, em fevereiro, e a chuva não atrapalhou meus planos.

Copacabana é uma cidade que tem muito turismo religioso e recebe grandes eventos durante o ano – o que pode ser uma experiência enriquecedora. Porém, se você não quer agito, evite as datas da Festa da Candelária, no dia 2 de fevereiro; o feriado da padroeira, nos dias 5 e 6 de agosto; e 17 de novembro, quando há uma grande reunião de mineiros e camponeses todo ano. Os sábados também costumam ser agitados, já que há uma grande concentração de peregrinos.

Quanto tempo ficar

Eu recomendo passar pelo menos uma noite em Copacabana para que sua visita nas Islas del Sol e de la Luna não sejam super corridas. Provavelmente você virá de Puno, no Peru, ou de La Paz, na Bolívia, viagens que duram, em média três horas. Ainda tem mais um ponto importante: as estradas bolivianas sempre são fechadas por manifestações. Na minha viagem, fiquei quase oito horas no trajeto Puno-Copacabana e fiquei aliviada de ter reservado um dia inteiro na cidade.

Para conhecer a cidade e ainda fazer o passeio de pernoite nas Ilhas do Lago Titicaca, recomendo três noites no total: uma para dormir em Copacabana, outra para dormir nas ilhas e a última para voltar com calma no final da tarde e partir no dia seguinte para o próximo destino.

Quer saber mais sobre minha viagem na Bolívia e no Peru? Veja os outros posts:

Roteiro e informações – Peru e Bolívia

Gastos totais da viagem Peru + Bolívia

Todos sobre a Bolívia

Todos sobre o Peru

Posts relacionados

Deixar um comentário

pt_BRPT_BR
en_USEN pt_BRPT_BR