Home Cicloativismo 5 trajetos leves para explorar o Rio de Janeiro de bicicleta

5 trajetos leves para explorar o Rio de Janeiro de bicicleta

por Gabriela Mendes
Arpoador até a Praça Mauá

💡 durante a pandemia, apoiamos passeios de bicicleta individuais ou como quem você tem contato diário, respeitando as regras de segurança e usando máscara.

A nossa forma preferida de conhecer os lugares é pedalando. Não é à toa que unimos duas paixões, bicicletas & comida, oferecendo um passeio de bicicleta com o Airbnb Experiences, aqui no Rio de Janeiro. 

Como andamos por toda essa cidade sob duas rodas, criamos uma seleção de 10 trajetos que são uma delícia para ir de bicicleta, separando em duas matérias. Nesta aqui, falamos de cinco roteiros para passear, levinhos, para explorar a cidade sob duas rodas, conhecer cartões postais do Rio e, de quebra, comer umas laricas pelo caminho.

💡 Se você gosta de um ciclismo mais puxado, acesse também a nossa outra matéria: 5 roteiros de ciclismo para explorar o Rio de Janeiro (trajetos médios/avançados)

O Rio de Janeiro está entre as 20 cidades do mundo com maior quilometragem de ciclovias, com cerca de 450km de estruturas cicloviárias. No entanto, apesar de ser considerada bike friendly, nem tudo são flores. Infelizmente, o uso da bicicleta como transporte ainda não foi internalizado pelos motoristas e,  além disso, a maior parte das ciclovias fica na região centro sul da cidade, concentradas e descontínuas.

Mas não se preocupe, montamos alguns roteiros cheios de dicas para você conhecer melhor o Rio de bike, num rolé completo, sem medo de ser feliz!

Roteiros nesta matéria de pedais leves: 1- Orla da Zona Sul | 2- Pão de Açúcar e Urca | 3- Lagoa | 4- Botafogo até Boulevard Olímpico | 5- Paquetá

⭐

Saiba mais: Guia da bicicleta no Rio de Janeiro: tudo que você precisa saber para pedalar na cidade

Pedais leves

Pra quem recomendamos: roteiros para quem quer passear, ter vistas bonitas e, quem sabe, petiscar pelo caminho.
Tipo de bicicleta: aqui vale tudo, bicicletas compartilhadas do Itaú ou aquela bike antiguinha que é seu xodó.
Tipo de trajeto: não precisa ter muita experiência pedalando, pois a maior parte desses trajetos é feito em ciclovias.

Roteiro 1: Ciclovia das praias do Leme, Copacabana, Arpoador, Ipanema, Leblon e Mirante do Leblon (9km, só ida)

Esse trajeto, que tem ciclovia em toda sua extensão, é uma delícia de fazer e ter um dia bem carioca: pedalando à beira-mar, com direito a mergulho, água de coco e visual de alguns dos principais cartões-postais do Rio. 

O caminho todo é tranquilo e pode ficar lotado nos finais de semana e nos dias de verão. Vale a pena fazer algumas paradas:

Pedra do Leme: com quiosque para tomar uma cervejinha ou água de coco e um mirante com um visual completo da praia de Copacabana. Quem quiser, pode aproveitar e fazer a trilha rapidinha do Forte do Leme (cerca de 15min subindo).
Onde comer: vegetariano no Gaia Art e Café, sanduba do Pura Raiz, no Posto 1, comida brasileira no Joaquina, bolinhos ou empadas tradicionais e chope gelado no Boteco Belmonte. Mas se quer apoiar um projeto que acreditamos muito, suba o Morro da Babilônia e conheça o Favela Orgânica

Praia de Copacabana: o famoso calçadão preto e branco é um dos lugares que você mais vai encontrar bicicletas no Rio. Dê uma paradinha para observar o histórico Copacabana Palace, se quiser aproveite para tomar um sorvete no Momo, na parte externa do hotel, e se refrescar no possível calor de 40º que faz lá fora. Já no final da praia, fica o Mercado de Peixes e o Forte de Copacabana e no seu interior, uma unidade charmosa da Confeitaria Colombo, além das estátuas de Dorival Caymmi e Carlos Drummond de Andrade. Neste local, chamado de Posto 6, você pode admirar um pedaço do Pão de Açúcar e, por ser um pedaço da praia com águas mais calmas, é conhecido para nadar e fazer stand-up paddle.
Onde comer: pastel e cerveja pós praia no Pavão Azul, delícias de boteco no Adega Pérola, pão, lanches rápidos e laricas na Farro, açaí e comida do norte no Grão Pará.

Arpoador: depois do forte, você entra na divisão entre Copacabana e Ipanema, onde fica o bairro do Arpoador. Ao lado da ciclovia, você vai passar pela Galera River, lugar tradicional pelas lojas de surf e artigos esportivos. Seguindo, a sugestão é entrar na passagem antes do Hotel Arena Ipanema e você sairá ao lado da Pedra do Arpoador, o lugar mais famoso da cidade para ver o pôr do sol. O visual dali justifica a quantidade de pessoas sentada na pedra, com a vista do Morro dois Irmãos, Morro do Vidigal e Pedra da Gávea. A praia do Arpoador também é área dos surfistas e há algumas escolas na areia, que oferecem aluguel de pranchas, apesar do possível crowd, será com certeza uma onda de visual memorável. 

Praia de Ipanema e do Leblon até o Mirante do Leblon: esse trecho da orla, com cerca de 3,6km, termina com uma vista linda do Mirante do Leblon. Aos domingos, rola a Feira Hippie de Ipanema, na Praça General Osório.
Onde comer: almoço refrescante no Delírio Tropical, em Ipanema, ou o familiar, chamego do bairro Fontes Restaurante.

💡 Aos domingos, toda orla fica aberta para a circulação de pedestres.
💡 Você pode combinar esse roteiro com: roteiro 2, 3 e 4.

Roteiro 2: Pão de Açúcar e Urca 

A ciclovia leva até a entrada do teleférico do Pão de Açúcar. Se quiser visitar o ponto turístico economizando, você também pode fazer a trilha que começa na Pista Claudio Coutinho. Não deixe de admirar a Praia Vermelha no caminho.

A Urca é um bairro residencial e cheio de casas antigas, o paraíso da escalada urbana carioca. Por mais que não tenha ciclovia adentrando o bairro, as ruas são tranquilas e fáceis de pedalar. Aproveite o pôr do sol com os quitutes do Bar Urca ou tomando uma cerveja gelada na Pobreta

💡 Esse roteiro é bom para combinar com vários outros, como o 1, 4 saindo de Copacabana, Botafogo, Centro, e aproveitando para subir o Pão de Açúcar ou só dar um rolézinho na Urca, passando pela ciclovia do Rio Sul. 

⭐ Saiba mais:
Saiba como comprar ingressos e conhecer o Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro

como-visitar-pao-de-acucar
Vista da Praia Vermelha e Praia de Copacabana, a partir do Morro da Urca

Roteiro 3: Volta na Lagoa (7,5km)

Voltinha na Lagoa é sempre uma boa ideia pra quem quer fazer um passeio tranquilo e com um visual arrebatador. Vale a pena levar lanchinhos e canga, parar em um dos gramados e ficar curtindo a vista sem olhar pro relógio. Os lugares que eu mais gosto de parar são o píer do Estádio de Remo da Lagoa o píer da Barraca do Índio. 

Durante os finais de semana, a Lagoa fica cheia de famílias, pessoas se exercitando e andando nos pedalinhos de cisne. O ambiente fica bem gostoso, mas a ciclovia pode ficar bem cheia, principalmente na área do Palaphitas, que pode ser legal para crianças, mas vale lembrar que todos os gramados são tomados por cangas e piqueniques de aniversário.

Onde comer: comida tradicional carioca no Braseiro da Gávea, pizza no Ella, do Jardim Botânico, Prana, para um almoço vegetariano de primeira, pipoca, churros, tapioca e algodão doce das carrocinhas de rua.

💡 Uma dica é combinar o rolé de bike com a trilha do Morro da Catacumba, que é mole, demora cerca de 15min para subir, e tem uma vista bonita.
💡 Vale a pena aproveitar e visitar o Jardim Botânico e Parque Lage, que ficam pertinho da Lagoa.
💡Você pode combinar esse roteiro com o 1, 2, 4.

Roteiro 4: Praia de Botafogo, Aterro, Centro e Boulevard Olímpico (9km, só ida)

⭐ Nós fazemos esse trajeto combinado com o Roteiro 1 na nossa experiência do Airbnb.

Pra mim, essa é a ciclovia mais linda do Rio. Começando pela Praia de Botafogo, de um lado tem a vista do Pão de Açúcar, e, do outro, do Cristo Redentor. Seguindo pelo Aterro do Flamengo, algumas paradas que valem a pena:

Aterro do Flamengo: o próprio Aterro é uma atração, sendo um dos maiores parques à beira-mar do mundo. Aqui, também vale a pena levar canga e lanchinhos para curtir a tarde nos gramados. O visual da Praia do Flamengo também é incrível. 
Onde comer: nosso queridinho Tacacá do Norte, com o melhor açaí da cidade. 

Píer da Marina da Glória: pra ver o Pão de Açúcar, a Baía de Guanabara, os aviões chegando e saindo do aeroporto Santos Dummont. De costas para o mar, nos morros, fica Santa Teresa, o Outeiro da Glória e os prédios do Centro da Cidade. 

Continuando a pedalada, passe por baixo dos pilotis no MAM, o Museu de Arte Moderna do Rio (se quiser, aproveite para ver as exposições), cruze a passarela e siga pela ciclovia que adentra o Centro da Cidade. Continue pela Rua Santa Luzia até o final, chegando na Ladeira da Misericórdia e na Orla Conde. 

Nesse trajeto, que leva até à Região Portuária, algumas paradas importantes:

Praça XV e Estação das Barcas: observe o antigo porto real da Praça e o Museu do Paço, que era sede administrativa do Império – hoje em dia funciona como galeria de fotografia. Todo sábado, até às 13h, funciona a Feira de Antiguidades da Praça XV, boa pra quem gosta de garimpar. Aproveite para dar uma olhadinha na Rua do Ouvidor e do Mercado, que conservam prédios do período colonial.

Onde comer: cafés especiais e lanches no Fika, mais cafés delícia no Coffee Five, boteco de respeito no Antigamente, vegano baratinho no Tempeh, comidas frescas no Verde Vício.

Ainda pela Orla, você vai passar pela Igreja da Candelária, os centros culturais CCBB, (dê uma olhada na programação, já que as melhores exposições passam por aqui!) Casa França Brasil, até atravessar a passarela de madeira, que te leva à Praça Mauá

Já na Praça Mauá, há varias paradas e atrações, como o Museu de Arte do Rio, Museu do Amanhã, Cais do Valongo, Largo São Francisco da Prainha, Morro da Conceição, Pedra do Sal e Mural Etnias do Kobra, onde por sinal, termina nossa pedalada do AirBnB Experiences. Continuando, você vai passar pelo AquaRio, e atrás, na Região do Santo Cristo, vale à pena o confere nos novos murais coloridos, igualmente gigantes, que contam um pouco da história campesina do Brasil.

Onde comer: Fazenda Culinária, no Museu do Amanhã, Angu do Gomes, para um angu tradicional, ou as nossas escolhas favoritas –  Lilia, um dos melhores restaurantes do Rio, com menu de entrada, principal e sobremesa que estão sempre mudando, Labuta Bar, para aquele PF trabalhador gourmet.💡

⭐ Você pode aproveitar e combinar esse roteiro com Santa Teresa ou Lapa. Veja mais:
O que fazer no Rio: conheça Santa Teresa
Lapa dos cariocas: dicas locais do que fazer no bairro boêmio do Rio de Janeiro

⭐ Saiba mais sobre a Região Portuária:
Zona Portuária do RJ: Boulevard Olímpico, Pequena África e atrações fora do circuito tradicional
Zona Portuária além da Praça Mauá: conheça o Circuito da Herança Africana, no RJ

Grupo do Airbnb Experiences na Praia de Botafogo, no RJ

Roteiro 5: um dia em Paquetá (8km, volta na ilha)

Paquetá é a Pérola da Guanabara, um bairro bucólico que fica numa ilha, conectado com o Centro do Rio a 40 minutos de barca. É uma delícia passar uma tarde ou um final de semana por lá, onde parece que o tempo parou! Para nossa alegria, não há carros, só bicicletas. <3

💡Esse roteiro pode ser combinado com o 4.

⭐ Nós damos todas as dicas de um dia delícia de bike em Paquetá aqui:
Paquetá: nossas dicas da ilha mais charmosa do Rio de Janeiro

Saiba mais sobre nossas experiências de bicicleta

⭐ Guia da bicicleta no Rio de Janeiro: tudo que você precisa saber para pedalar na cidade
⭐ 5 roteiros de ciclismo para explorar o Rio de Janeiro (trajetos médios/avançados)
⭐ Biketrip: mas afinal, como é viajar de bicicleta?
⭐ Old Delhi de bicicleta: como foi a experiência de pedalar na capital da Índia
⭐ Cicloviagem e Couchsurfing: Visitando o Cactuário de Zapotitlán Salinas, em Puebla, México
⭐ Atravessando fronteiras terrestres: cicloviagem trecho Bacalar, Quintana Roo para Belize City

Posts relacionados

Deixar um comentário

EnglishFrenchPortugueseSpanish