Home Ásia Se apaixone pelo Laos em Luang Prabang

Se apaixone pelo Laos em Luang Prabang

por Ursulla Lodi
Se apaixone pelo Laos em Luang Prabang

Quando ir, onde se hospedar, o que e onde comer, quanto tempo ficar: nesse post você encontra tudo sobre a cidade mais encantadora do Laos!

Luang Prabang é o sonho de qualquer viajante: ruas tranquilas coloridas pelas roupas dos pequenos monges, construções coloniais francesas, templos budistas, cachoeiras de água azul turquesa, ecoturismo, vistas estonteantes para o Rio Mekong, bistrôs, padarias com croissants quentinhos, massagens inesquecíveis… Não é à toa que a cidade faz tanto sucesso entre os turistas e entra em grande parte dos roteiros pelo Sudeste Asiático, resumindo de maneira singular a simpatia da população e a beleza do país.

Do charme da antiga Indochina ao refinamento de seu passado real, a cidade, patrimônio da UNESCO, é uma mistura das mais especiais que você pode encontrar na região. Portanto, seja generoso na quantidade de dias ou se permita roteiros em aberto para poder viver o ritmo local, extremamente calmo, quase que meditativo.

10

Saiba mais sobre Luang Prabang

Não muito tempo antes de Luang Prabang ser um destino charmoso ao norte do Laos, a cidade era a capital de um reino próprio, de mesmo nome, fundado em 1707. Ao longo de sua história, a fraca monarquia de Luang Prabang foi obrigada a pagar tributos e se subordinar ao reino Birmanês.

Depois de um ataque destrutivo por parte do exército de Black Flag, em 1893, o Reino escolheu aceitar a proteção da França, integrando-se à Indochina Francesa, no qual continuou como um protetorado francês até pouco antes da Segunda Guerra Mundial. Durante a guerra, o país sofreu ainda com a ocupação japonesa e apenas após o seu fim, passou a ser, independente de fato em 1953, com a unificação e surgimento do novo Reino do Laos.

No entanto, poucos anos depois iniciou-se a longa guerra civil, que culminou com o fim da monarquia quando o movimento comunista Pathet Lao chegou ao poder em 1975, transformando o país na atual república socialista.

Hoje em dia, do colonialismo francês e do passado real, sobraram os casarões, transformados em hotéis boutique e ótimos restaurantes, um pequeno palácio e 33 dos 66 templos construídos originalmente. Mas, se mantiveram o estilo e a calmaria típica do Laos. Os horários de rush resumem-se à saída de estudantes das escolas com suas bicicletas, se misturando ao pequeno tráfego de motos e tuk-tuks.

16

Pelas ruas do Old Quarter

O que fazer

A boa notícia é de que o destino ainda é bem em conta, as melhores coisas são bem baratas ou de graça: alugar uma bicicleta, caminhar pelas margens do rio, explorar a cidade e seus 33 templos, fazer grandes achados no mercado noturno, ou ter um banquete na buffet street por 2 dólares, contemplar as águas azuis da majestosa cascata  Kuang Si, participar da cerimônia do alms giving, ir ao boliche(!), ou apenas ler um livro em um gostoso café francês. A grande dúvida do dia pode ser entre a aula de yoga e o curso de culinária…

20

A majestosa Kuang Si

Com alguns dias a mais é possível ainda se aventurar em trekkings, atividades de montanhismo e raftings ou se voluntariar para cuidar de elefantes. <3

Para ver mais sobre as atrações de Luang Prabang veja esse post: 10 passeios imperdíveis em Luang Prabang, no Laos

25

O Wat Phan Luang, templo do Palácio Real

Onde se hospedar em Luang Prabang

Luang Prabang conta com ótimos hotéis boutique – em seus casarões indochineses tradicionais reformados – bem como pequenas e acolhedoras pousadas domiciliares. Aconselho ficar no Old Quarter ou próximo do pequeno centro, para poder fazer tudo a pé.

Fiquei numa pequena pousada domiciliar e foi uma ótima experiência, a Villa Ban Phan Luang, do outro lado da Ponte de Bambu, a 10 minutos de caminhada da rua principal. A pousada tinha um ótimo café da manhã e o proprietário preparou até mesmo nossas oferendas para o alms giving e foi com a gente –  permitindo que a gente participa-se do ritual ao invés de sermos apenas espectadores.

Outras boas opções são a guesthouse Manichan Guesthouse ou, se busca algo com mais conforto, o Le Sen Boutique Hotel.

Se locomovendo pela cidade

O pequeno centro antigo da cidade se estende ao longo da Rua Th Sisavangvong, que pode ser percorrida a pé, num passeio agradável, viajando em cenas cotidianas. Para passeios mais distantes é possível alugar uma moto, contratar um pacote em uma pequena agência, ou fechar com um tuk-tuk (que funciona em Luang Prabang como um táxi coletivo para até 6 pessoas).

8

Um tuktuk cheio de monges!

Mas, a melhor maneira para conhecer aqueles cantinhos fora do guia é alugando uma bicicleta. Inclusive, muitos hotéis e pousadas oferecem uma bike como um mimo aos seus hóspedes.

O que comer em Luang Prabang

13

Comer em Luang Prabang faz parte do roteiro turístico. A culinária do Laos é riquíssima: sopas, peixes ensopados ou assados, carne de porco, linguiças artesanais, algas e muito sticky rice e chili. Não deixe de provar o mok pa, peixe ensopado em folhas de bananeira e a famosa sopa de bambu. Não é pra menos que muita gente se aventura nas aulas de culinária.

Das comidas de rua do Night Market, onde é possível comer tudo que couber no seu bowl por 2 dólares(!) na buffet street, aos restaurantes com preços acessíveis de culinária francesa e laoniana, opções não faltam na cidade. Não deixe de conferir o restaurante Tamarind, que além de oferecer aulas de culinária, oferece um delicioso set menu para duas pessoas com uma variedade de pratos típicos, apresentando a culinária do Laos, e o lao fundue do restaurante Dyen Sabai, uma iguaria super gostosa e diferente, que nós mesmos preparamos na mesa. Outras opções maravilhosas são os restaurantes Bamboo Tree, 3 Nagas e o Lao Lao Garden.

Melhor época para conhecer Luang Prabang

A melhor época para visitar a cidade e, consequentemente, a alta temporada, é entre os meses de novembro e fevereiro, época da seca e que ainda não é tão quente quanto os meses seguintes. Além da Ponte de Bambu estar montada, com menos chuvas podemos desfrutar com mais qualidade dos passeios de natureza, que são as principais atrações de Luang Prabang.

Quantos dias ficar

A cidade pede calma e nos ensina ter calma. Então, não adianta ter pressa por aqui. Venha para relaxar. Recomendamos no mínimo 4 noites, mas garantimos que você vai querer reprogramar seu itinerário e estender a sua estada, Luang Prabang vai seduzir você.

Saúde, segurança e exigências

Para entrar no Laos é necessário fazer na chegada ao país o visto on arrival (31 dóláres), antes da imigração. Para tanto, não esqueça de levar aquelas fotos 3×4 que sempre salvam. Não existe exigência específica de nenhuma vacina, como ocorre em outros países do Sudeste Asiático. E é sempre bom lembrar: na hora de planejar seu roteiro para o Laos, ou para qualquer outro lugar, não se esqueça de incluir um seguro de viagem.

Montando um roteiro pelo Sudeste Asiático e quer saber mais dicas? Veja também:
Quanto custa uma viagem para o Sudeste Asiático?
Sudeste Asiático: vistos e vacinas exigidos para brasileiros
Bom giro! 🙂

Posts relacionados

Deixar um comentário

pt_BRPT_BR
en_USEN pt_BRPT_BR