Home Ásia TAILÂNDIA parte I

TAILÂNDIA parte I

por Ursulla Lodi
TAILÂNDIA parte I

Roteiros e tudo o que você precisa saber antes de visitar o país

Se você é desses que viaja antes de ir, preparamos um manual com informações básicas sobre a Tailândia, além de muitas sugestões de itinerários para quem está planejando sua primeira viagem ao país.  🙂

Primeiro contato

A Tailândia é uma monarquia parlamentar e, recentemente passou por um período de luto oficial de mais de um ano, após a morte de seu monarca mais adorado o Rei Rama IX, Rei Bhumibol Adulyadej, que encontrava-se no poder desde 1946. O Rei no país é considerado pai dos tailandeses e amado como o tal – muito embora muitos tailandeses não tenham o mesmo apresso pelo filho e sucessor do trono como tinham por seu falecido pai.

Quase todas as ruas e casas tailandesas tem imagens do rei, o que é a coisa que mais me chamou atenção nos primeiros dias. Ele, literalmente, está em todo lugar. Ao menos em tese, trata-se de um regime democrático, apesar de existir uma forte presença e influência militar no governo, sobretudo após a instabilidade e deposição de sua primeira ministra em 2014.

12

Ruas de Bangkok, tuktuks, muitas motos, táxis rosas e a imagem do rei ao fundo

5

População agradecendo pelo respeito dos turistas durante o período de luto em Bangkok

O Budismo é a essência do país, mais de 90% da população é budista. Não é pra menos que boa parte do turismo do país se passa dentro dos templos, nos quais devemos ser profundamente respeitosos.

É corriqueiro nos depararmos com monges, circulando e vivendo suas vidas (sim, os monges tailandeses tem celular, andam de transporte público, são seres humanos normais, porém não devem tocar, falar ou olhar nos olhos de mulheres, então atenção para não gerar constrangimentos). Uma curiosidade é que no budismo todos os homens podem ser monges pelo período que assim desejarem 1 dia, 1 mês, anos ou pela vida toda – grande parte, inclusive, já foi monge.

10

Monge budista no Wat Doi Suthep, Chiang Mai

Etiqueta básica

Para entrar nos templos tire os sapatos, cubra os ombros e joelhos e tome cuidado para não apontar os pés,  ou de qualquer maneira desrespeitar a imagem de Buda;

As imagens de Buda são todas sagradas, em tese é proibido comprá-las como souvenir (se não para adorá-las), como também é proibido e extremamente desrespeitoso qualquer tatuagem com a imagem de Buda;

Se cumprimentado com um wâi (mãos unidas como em oração e um leve inclinar de cabeça – pode ser usado para “oi”, “tchau” e “obrigado”) retribuir;

Obrigado: khop khun krap; Obrigada: khop khun ka;

Olá: sawadee.

A culinária tailandesa baseia-se em frutos do mar, porco, frango, leite de coco, vegetais, papaia, manga, capim limão, e, sobretudo, arroz (que pode ser também servido como noodle) e chilli, que são os ingredientes principais, consumidos em todas as refeições. O verbo comer em tailandês em tradução literal, inclusive, significa “comer arroz”.

2

A melhor comida pode ser a mais simples. Mulheres cozinhando, Floating Market, Bangkok

A comida é sempre muito apimentada, porém deliciosa. Se perguntarem se você quer spicy, a menos que seja extremamente acostumado, fale que pode ser pouca pimenta. Se tiver qualquer restrição, informe todas as vezes que fizer um pedido. Não deixe de provar: mango sticky rice, padthai,  green curry,  red curry, yellow curry, som tam (salada de papaia verde), salada de pomelo,  entre muitas outras delícias. Experimentar esses sabores novos fazem parte do se deixar levar e da imersão cultural. 🙂

O povo tailandês é extremamente simpático e carismático, sempre fazem de tudo para você se sentir em casa. Apesar da grande maioria, sobretudo os mais velhos, não falar inglês, vão tentar te ajudar com mímica ou chamar o vizinho que fala algumas palavras. Se você tiver na fila de um restaurante é comum que puxem papo e queiram fazer amizade, ou até mesmo te levar para um tour na cidade, mas fique tranquilo, o país é extremamente seguro.

1

Como toda viagem, o destino pode ser caro ou barato dependendo de suas escolhas e estilo de viagem. A moeda da tailandesa é o thai baht.

Cotação USD – THB de novembro 2016/março 2017: $ 1 = ฿ 39-40.

Ou seja, R$ 1 = um pouco mais do que ฿ 10.

Em média, no geral, basta dividir o valor por dez para saber o preço aproximado em real.  Se quer saber dicas de como economizar e montar seu roteiro para o Sudeste Asiático, veja esse outro post que eu escrevi.

Quando ir?

> novembro/fevereiro: época seca e agradável, não é o auge do verão, mas continua com temperaturas bem elevadas. Alta temporada de dezembro a janeiro.

> março/junho: época mais quente (tipo um inferno na terra), boa para quem vai seguir para as praias.

> julho/outubro: época de chuvas, evitar sobretudo os meses de setembro e outubro, auge das monções.

3

Se você quer curtir um dia azulzinho evite a época das monções

Roteiros básicos pela Tailândia

Os roteiros variam de acordo com quanto tempo você tem disponível. O mais interessante é conhecer primeiro a porta de entrada do país, a vibrante e caótica capital, Bangkok e depois seguir de trem noturno para Chiang Mai, para tomar um fôlego e curtir dias tranquilos. No caminho, fica a antiga capital Ayutthaya que pode ser visitada em um bate e volta partindo de Bangkok ou seguindo a viagem em direção ao norte do país. Depois de alguns dias agradáveis em Chiang Mai é possível prolongar sua estada na montanha conhecendo também Pai.

De Chiang Mai vamos para o sul do país, onde ficam as lindas ilhas tailandesas. Para tanto, pode-se pegar um voo para Phuket ou para Krabi, onde fica a famosa Railay Beach. Aproveite alguns dias azuis e siga de ferry para a badalada Ko Phi Phi que mesmo para quem não é tão fã de agito, como eu, merece ao menos 1 noite, pois é lindíssima. De Phi Phi é possível ir para Ko Lanta ou para Ko Lipe, outro paraíso na terra, já próximo a fronteira da Malásia.

Se você gosta de mergulhar, não pode deixar de conhecer o outro lado da península, indo para Ko Tao. Neste lado ficam também a Ko Pha-Ngan, ilha da foll moon party, e a grande ilha, Ko Samui.

Mas fique sabendo que para conhecer todos esses paraísos você vai precisar de bastante tempo no país então escolha os destinos que mais combinam com você. 🙂

1

Pôr do sol em Ko Tao <3

Na hora de começar a planejar a viagem, é comum ficarmos sem saber que ilhas escolher. Se você também tá com essa dúvida cruel veja esse post: Nossas ilhas escolhidas na Tailândia.

Observação: se você tá fazendo um roteiro pelo Sudeste Asiático é interessante seguir do norte do país para os demais países e depois retomar à Tailândia para curtir seus dias de praia, ou ao contrário, deixando para conhecer Chiang Mai no final.

Sugestões de itinerários pela Tailândia:

> 1 semana: opção 1: Bangkok > Chiang Mai; opção 2: Bangkok > Krabi >+1 ilha

> 2 semanas: Bangkok > Chiang Mai > Krabi > +2 ilhas
> 3 semanas ou mais: Bangkok  > Chiang Mai > Pai > Krabi > +3 ilhas

> Meu roteiro: Bangkok (3 noites) > Chiang Mai (3 noites) > Krabi (2 noites) > Ko Tao (3 noites) > Ko Phi Phi (2 noites) > Ko Lanta (2 noites) > Ko Lipe (5 noites).

O que eu mudaria no meu roteiro:

De Chiang Mai eu teria ficado mais algumas noites em Pai, mas já tinha comprado as passagens para Krabi e não deu para estender. Além disso, teria ficado mais dias em Krabi. Faria alguns remanejamentos de dias também.

Ou seja, com o mesmo tempo  o meu roteiro ideal seria: Bangkok (4 noites)> Chiang Mai (3 noites)> Pai (2 noites) > Chiang Mai > Krabi Town (1 noite) > Railay ou Ao Nang (2 noites) > Ko Tao (3 noites) > Ko Phi Phi (2 noites) > Ko Lanta (3 noites) > Ko Lipe (3 noites).

Como o preço dos barcos costuma ser bem mais baratos lá do que comprando pela internet, pode ser uma opção interessante, se você não está indo em alta temporada, planejar sua viagem até Krabi ou Phuket, decidindo que ilhas ir ou quanto tempo ficar em cada uma por lá.

Bom giro! 🙂

6.jpg

Confira outros posts sobre a Tailândia:

GUIA BANGKOK
Chiang Mai, a cidade dos templos ao norte da Tailândia que vai te conquistar
Festival das Lanternas em Chiang Mai, Tailândia
Nossas ilhas escolhidas na Tailândia
Sudeste Asiático: vistos e vacinas exigidos para brasileiros

Posts relacionados

2 Comentários

Laisa 14/03/2018 - 13:58

Oi! Você faz roteiro personalizado para Tailândia? Eu e meu marido gostariamos de ir em novembro para o festival das lanternas e conhecer o q for possível. Queríamos ver TB o templo branco, passar um dia com os elefantes, mercado flutuante e praia (dormir numa praia/ilha que comentam na internet, mas não sei o nome). A ideia seria essa. Aguardo retorno!

Reply
Chiang Mai, a cidade dos templos ao norte da Tailândia que vai te conquistar | Gira Mundo – Dicas de Viagem e Roteiros Personalizados 09/10/2018 - 18:22

[…] em Chiang Mai, Tailândia Chegando na Tailândia: dicas antes de sair do aeroporto BKK GUIA BANGKOK Tailândia parte I Quanto custa uma viagem para o Sudeste Asiático? Nossas ilhas escolhidas na […]

Reply

Deixar um comentário

EnglishFrenchPortugueseSpanish