Home Belém Ilha do Combu: arte, gastronomia e natureza, ao lado de Belém do Pará

Ilha do Combu: arte, gastronomia e natureza, ao lado de Belém do Pará

por Gabriela Mendes
Ilha do Combu: arte, gastronomia e natureza, ao lado de Belém do Pará

Esse post foi escrito pela Bibi e atualizado pela Ursa, em 2018. <3

A Grande Belém possui cerca de 50 ilhas e, uma delas, é a Ilha do Combu. O local é moradia de 200 famílias que vivem em palafitas às margens do Rio Guamá e fica a apenas 15 minutos da cidade. Nos finais de semana é um passeio maravilhoso para moradores e turistas que visitam a capital paraense. Além do banho de igarapé e a deliciosa gastronomia local, o destino é uma galeria a céu aberto com o projeto “Street River”, que coloriu as casas dos ribeirinhos com grafite.

Como ir

Indo por conta própria ponto de partida é a Praça Princesa Isabel, no bairro Condor, onde ficam os barcos para fazer a travessia de dois quilômetros (R$ 4). Rapidamente, o cenário urbano de Belém vai ficando pra trás e a paisagem é tomada por muito verde.

_dsc0568

Os prédios de Belém ficando pequenos ao se aproximar da Ilha do Combu

O legal é conhecer a ilha e depois no final da tarde, parar em um dos restaurantes para almoçar com tranquilidade. Eu fui no Saldosa Maloca (com “L” mesmo), que é o mais antigo do local. O cardápio é todo amazônico com deliciosos peixes, caranguejo e um açaí que é colhido na própria mata do restaurante – uma refeição custa cerca de R$ 40 por pessoa.

Quem quer provar o açaí bem purinho e fresco lá é o lugar certo, já que ele é feito todos os dias. A estrutura é toda de madeira e possui chuveiros, um deck para tomar banho de rio e uma trilha para a mata, onde fica uma enorme Sumaúma. Depois do almoço podemos até mesmo dar aquela relaxada em uma rede do redário local.

2015-12-05-14-55-13-1

É emocionante se ver tão pequeno perto de uma Sumaúma <3

Não deixe de percorrer os igarapés da ilha. Fomos com o Nauá, um morador do Combu, que nos levou à avenida principal, que, no lugar de carros e asfalto, tem barcos e rio. A paisagem é bem bonita, já que é toda rodeada de floresta e palafitas, que são as casas típicas da região. É interessante observar que tudo é feito de barco, até o transporte escolar, para a escolinha, que também fica na beira do rio.

_dsc0009

A “avenida” principal da Ilha do Combu

Plantação de Cacau

Uma das paradas imperdíveis é na plantação de cacau Filhas do Combu. Vale a pena provar os brigadeiros feitos com o cacau purinho feito no local. A qualidade é tão boa que até chefs famosos, como Alex Atala e Thiago Castanho, usam o produto em seus restaurantes. Por R$ 5 é possível entrar na propriedade de Dona Nena, a idealizadora do projeto, percorrer as plantações e ver a secagem do cacau.

 

No caminho, nós observamos algumas casas pintadas pelo projeto “Street River”, mas Nauá nos falou que em outra parte da ilha havia ainda mais. Como ele precisava passar em casa pra deixar algumas panelas, se ofereceu para nos levar no local. Essa parte do passeio foi ainda mais incrível, pois nós saímos do trajeto tradicional feito pelos turistas e adentramos em uma zona mais residencial da Ilha do Combu. E era verdade, lá tinha mais casas lindíssimas grafitadas pelo projeto.

_dsc0583

Terminado o passeio, nós voltamos para o restaurante Saldosa Maloca para pegar o barco de volta para Belém.

Street River

Idealizado pelo artista visual Sebá Tapajós, o projeto, iniciado em 2015, foi uma homenagem aos 400 anos de Belém. Sebá e mais seis artistas convidados pintaram as palafitas do moradores da Ilha do Combu com imagens abstratas e rostos indígenas. O efeito é lindo, já que a ilha se tornou uma galeria a céu aberto de arte urbana, rodeada de natureza.

Quando ir

Normalmente os restaurantes ficam abertos apenas em finais de semana e feriados. Vale a pena ligar para os estabelecimentos e confirmar.

Onde comer?

Saldosa Maloca: (91) 9982.3396

Combu da Amazônia: (91) 98294-6332

Maloca do Pedro: (91) 3087-3473

Chocolates Filhas do Combu:  (91) 98873-5284

Passeios de barco

Para ir por conta própria, o contato do barqueiro Nauá é: (91) 99918-9876, mas não se preocupe pois os próprios restaurantes da ilha fazem contato com os locais e arranjam os passeios. Vale a pena ligar e reservar com antecedência. Foi o que eu fiz com a minha família.

No entanto, se quiser ir com o esquema completo de visita guiada à Plantação de Cacau, procure o Mário Carvalho: (91)9388-8885. O passeio sai por R$30, também saindo da Praça Princesa Isabel e depois da visita você pode ficar o tempo que você quiser boiando no igarapé ou comendo em algum restaurante, como a Saldosa Maloca, foi o que a Ursa fez.

Quer saber mais sobre o Pará? Dá uma olhada nessas matérias:

:star: Conheça a Floresta Nacional do Tapajós, no Pará

:star: Alter do Chão: nossas dicas do Caribe Amazônico

:star: Belém: as melhores atrações da capital paraense

:star: Uma experiência no mercado Ver-o-Peso, em Belém

Posts relacionados

6 Comentários

Alter do Chão: nossas dicas do Caribe Amazônico – Gira Mundo 10/11/2016 - 09:37

[…] Ilha do Combu: arte + gastronomia + natureza […]

Reply
Conheça a Floresta Nacional do Tapajós, no Pará – Gira Mundo 10/11/2016 - 09:37

[…] Ilha do Combu: arte + gastronomia + natureza […]

Reply
Uma experiência no mercado Ver-o-Peso, em Belém – Gira Mundo 16/11/2016 - 21:52

[…] Ilha do Combu: arte + gastronomia + natureza […]

Reply
Belém: as melhores atrações da capital paraense – Gira Mundo 02/12/2016 - 15:29

[…] Ilha do Combu: o destino é um passeio delicioso que fica a apenas 15 minutos de barco de Belém. Na ilha, há restaurantes com comida regional, passeio de igarapé e muita natureza. Eu dou todas as dicas neste post. […]

Reply
Onde provar a deliciosa gastronomia paraense em Belém – Gira Mundo 11/12/2016 - 13:50

[…] Saldosa Maloca: Ir ao Saldosa Maloca é um programa delicioso para o final de semana. O restaurante fica na Ilha de Combu, a 15 minutos de barco de Belém. São servidos pratos de peixe bem gostosos, além de um açaí purinho, com produção diária das plantações da ilha e outras delícias. O preço é bem justo: cada prato custa cerca de R$ 40 e é bem servido. Para saber tudo sobre a Ilha do Combu clique aqui. […]

Reply
Roteiro pelo Pará e Região Norte: Belém, Alter do Chão e muito mais – Gira Mundo 24/02/2018 - 17:28

[…] Para saber mais do passeio para a Ilha do Combu veja este post. […]

Reply

Deixar um comentário

EnglishFrenchPortugueseSpanish