Home Cicloativismo Guia da bicicleta no Rio de Janeiro: tudo que você precisa saber para pedalar na cidade

Guia da bicicleta no Rio de Janeiro: tudo que você precisa saber para pedalar na cidade

por Ursulla Lodi
Guia da bicicleta no Rio de Janeiro: tudo que você precisa saber para pedalar na cidade

Pedalar no Rio é uma delícia e nossa forma preferida de locomoção. As magrelas nos acompanham em todos os momentos, seja para ir trabalhar, fazer exercício ou dar uma voltinha despretensiosa. Vivenciar a cidade sob duas rodas é uma experiência que a gente recomenda não só para turistas, mas também para os próprios moradores, que têm a sorte de morar em um lugar que se encaixa quase perfeitamente sob duas rodas.

É claro que, apesar das 450km de extensão de ciclovias, o Rio de Janeiro não é tão bikefriendly quanto parece. Muitas das ciclofaixas são descontínuas e quem anda na rua, ao lado dos carros, sofre assédio, desrespeito e muita insegurança. Estar no trânsito é gostoso, mas tenso, perigoso – é nosso direito e devemos lutar por ele, exigindo melhores condições para os ciclistas. 

Por conta disso, nós fizemos esse guia da bicicleta para quem pedala de todas as formas e para que você tenha uma pedalada prazerosa, com nossas melhores dicas de como alugar uma bike, tours de bicicleta, recomendações de lojas e oficinas, eventos e clubes de pedal, onde treinar ciclismo e dicas de segurança.

Respeita as bikes e vem com a gente! 

Nesta matéria: como alugar uma bike | aprenda a pedalar | tours de bicicleta | lojas e oficinas de bicicleta no RJ | eventos de pedal | como treinar ciclismo | pedalar com segurança

💡 Para saber aonde pedalar no Rio de Janeiro, veja nossa selação de melhores lugares:
5 trajetos leves para explorar o Rio de Janeiro de bicicleta
5 roteiros de ciclismo para explorar o Rio de Janeiro (trajetos médios/avançados)
💡 Conheça o Rio de Janeiro no pedal com a gente reservando nossa experiência do Airbnb!

Não tenho uma bicicleta, como faço para alugar uma?

Bike Rio

As laranjinhas, bicicletas do Itaú, têm estações por toda a cidade e tem o objetivo de incentivar o pedal como meio de transporte. Você pode utilizar tanto para locomoção, quanto para passear, com a facilidade de deixá-las em qualquer lugar da cidade que você queira parar. As bicicletas são exclusivamente para trajetos fáceis ou de passeio, não são feitas para ciclismo esportivo, já que são pesadas e limitadas. Mas elas quebram um bom galho para a maioria dos trajetos de ciclovia!

Como funciona: para utilizá-las, basta baixar o aplicativo no seu celular. O ideal é não ultrapassar o tempo máximo de 60 minutos por bike entre retirada e devolução nas estações, porque é cobrada uma taxa adicional.
Quanto custa: elas têm diversos planos, de acordo com a sua necessidade. O plano diário custa R$8,80, o mensal R$29,90 e o anual R$239,90. 

CyclingRio

Além de fazer tours, a empresa também aluga bicicletas de estrada e performance. É uma boa ideia pra quem quer fazer aquela subidinha do Alto da Boa Vista. Eles fazem esquema de delivery ou você pode retirar na loja, que fica no Jardim Botânico.
Quanto custa: aluguéis a partir de R$150/dia.

Bicicletas Blitz

Além de venderem as bikes da própria marca, a Blitz aluga magrelas estilosas na unidade de Copacabana. A maioria das bikes são modelos beach bike, para uma pedala mais despretenciosa.
Quanto custa: bike básica por R$25 por uma hora, R$40 duas horas e R$75 a diária; bike elétrica por R$35 uma hora, R$60 duas horas.

Fiets Rio Bikeshop

Oficina, loja e aluguel de bikes com unidades no Arpoador, pertinho da praia, e em Laranjeiras.
Quanto custa

Lagoa Rodrigo de Freitas

Há vários estandes de aluguel ao lado da ciclovia da Lagoa, principalmente nos finais de semana e próximo ao Parque dos Patins ou Palaphitas, como a Girls Bike.
Quanto custa: a partir de R$20/hora.

Não sei pedalar, e agora? Bike Anjo resolve.

Nunca é tarde pra aprender! A galera do Bike Anjo é uma organização de ciclistas que ensina gratuitamente pessoas a pedalar. Eles dão dicas de trânsito, segurança, além de incentivarem o pedal, dando visibilidade ao ciclismo. Eles também recrutam voluntários que queriam contribuir com o projeto e as aulas são gratuitas.
Saiba mais: bikeanjo.org

Tours de bicicleta

Rio de Bike: de Ipanema até o Centro

Nossa experiência do Airbnb é uma forma bem completa de conhecer o Rio de Janeiro, uma pedalada autêntica comigo e/ou com a Ursulla. Nosso objetivo é apresentar a cidade com os nossos olhos e da nossa forma preferida, de bicicleta; tanto para turistas quanto para moradores do Rio, já que, apesar da ciclovia ser linda, muita gente que mora na cidade nunca fez essa pedalada.

RioCyclin

Uma boa opção pra quem procura passeios e rotas de alta performance. A equipe é muito preparada, tudo é de qualidade e eles oferecem experiências completas de um dia até semanas. O valor é bem mais alto, porque eles são focados no ciclismo de ponta, com bikes de grife, hotéis de luxo, assistência completa, entre outros.

Recomendação de lojas e oficinas de bicicleta

Lugares para dar aquela revisão maneira na sua magrela.

Salas Bike

A pequena oficina na Rua Pedro Américo, no Catete, é um lugar recomendável e seguro pra deixar sua magrelinha e também pra quem tem fixa, como eu. A minha última revisão custou R$80. 

Bicicletaria

Na Rua Von Martius no Jardim Botânico, é a oficina que cuida das magrelas da Ursulla, atendendo todo tipo de bike, fixa ou alta performace.

Bike Alive

A loja é considerada o que há de melhor em artigos de bicicleta aqui no Rio. Ela fica na Tijuca, Zona Norte da cidade e tem preços muito bons. É um dos poucos lugares onde você pode achar peças de fixa, que, normalmente, só são encontradas na internet.

Eventos de pedal 

Observação importante: durante a pandemia, os eventos estão suspensos, já que não incentivamos saídas coletivas que podem ter risco de contágio. Se for pedalar, vá sozinho ou com pessoas que você está convivendo, usando máscara e tomando todas as dicas de segurança! 

NightRide

Todas as terças às nove da noite, rola o Night Ride, um encontro antifascista, que recebe todos os tipos e bicicletas e ciclistas que se unem para explorar a cidade juntos. Eu sou suspeita pra falar, porque frequento o NR há mais de um ano e amo a ideia. No final, nós sempre paramos em algum lugar para comer e bater papo. Os roteiros são alternados por Zona Sul e Zona Norte, sempre decididos em conjunto, na praça, antes da partida. Além disso, uma vez por mês rola o NR Social, um pedal mais leve para quem é novo e quer se inserir no grupo. Qualquer pessoa pode ir a qualquer Night Ride, mas alguns trajetos podem ser muito pesados, por isso eu recomendo sempre começar pelo NR Social.
Ponto de Encontro: Praça do Ciclista/ Praça Marcelo Bartoli, na Lapa, às terças-feiras, 21h.
Link para o grupo de Facebook: fb.com/groups/nightriderj
Link para o grupo de Whatsapp: https://goo.gl/z4l3nK

evento-bicicleta-rio-de-janeiro
Galera do Night Ride em um dos pedais de terça-feira

Pedal das Minas

Um grupo da mulherada que se reúne para pedalar. Infelizmente, não tem mais eventos semanais, mas são organizadas algumas saídas em grupo.
Para ficar por dentro, participe do
grupo de Whatsapp.

Massa Crítica/Bicicletada

Uma pedalada que acontece sempre na última sexta-feira do mês em vários lugares do mundo, inclusive no Rio de Janeiro. Normalmente, as saídas acontecem às 19h, na Praça da Cinelândia, no Centro.
Veja o grupo do Facebook para ter mais informações.

Pedal Sonoro

Uma bicicletada musical que tem o objetivo de propagar os direitos e deveres dos ciclistas, conscientizando a população. O evento, que acontece de vez em quando, é uma pedalada acompanhada de uma caixa de som tocando músicas. Na maior parte das vezes, ele acontece em Niterói, mas há algumas edições no Centro do Rio.

Pedalada Pelada (World Naked Bike Ride)

Um evento mundial que acontece uma vez por ano, normalmente em março. Ele tem como objetivo chamar atenção das pessoas à exposição que os ciclistas passam no trânsito, procurando conscientizar motoristas e garantir nosso direito de estar na cidade, com segurança. Para isso, as pessaos se reunem e pedalam pedalas, como ato político. 

Onde treinar ciclismo no Rio de Janeiro

Pra quem busca performance, há duas ótimas opções de treino na cidade, o Velódromo e as APCC:

Velódromo

Se você procura treinos profissionais, saiba que é gratuito usar o Velódromo do Rio. Porém, é preciso que sua bicicleta tenha pinhão fixo e esteja sem freio. Além disso, se for sua primeira vez, é preciso agendar uma avaliação clínica pela FECIERJ, que está aberta uma vez por mês.
Para saber mais, entre em contato com o
Fecierj Ciclismo.

APCC

As chamadas de APCC são Áreas de Proteção ao Ciclismo de Competição e, no Rio de Janeiro, há três lugares: APCC Reserva 8km (Circuito Guilherme Paiva), APCC Aterro – 7km (Circuito Pedro Nikolay) e APCC Porto11km (Circuito Marcos Hama). 

No Aterro e na Reserva o funcionamento é todas as terças e quintas, das 4h às 5h30; já no Porto é aos domingos e feriados, das 6h às 8h.

Durante a pandemia, eles estão funcionando com algumas restrições, só é permitido treinos individuais, sem aglomerações, obrigatório o uso de máscaras, bandanas ou balaclavas durante os treinos e é necessário manter uma distância de 20m frontais e 3m laterais entre ciclistas. 

Acesse o app da Comissão de Segurança no Ciclismo na Cidade do Rio de Janeiro – CSCRJ para conferir informações sobre as APCC e ciclismo.

Tribus Adventure

Uma forma bem legal também é contratar uma assessoria esportiva. A Tribus oferece treinos com profissionais especializados, tanto na subida da Vista Chinesa, quanto nas APCC. Pode ser uma boa ideia para começar ou aperfeiçoar o pedal de montanha/performance. Além disso, eles também têm treinos de natação, corrida e canoagem. Recomendo muito!
Quanto custa: planos mensais de 1 vez por semana por R$150 e duas vezes por semana por R$250, além de eventos organizados com frequência.

Pedar com segurança

Algumas dicas essenciais para sua pedalada ser mais prazerosa e segura.

Nunca pedale na contra-mão! Você atrapalha o trânsito, os carros e outros ciclistas que estão na via. Se estiver na ciclovia, respeite o fluxo e, se estiver na rua, pedale sempre no sentido dos carros. Para sermos respeitados no trânsito, nós também precisamos seguir as regras.

– Não pedale nas calçadas, desça e empurre sua bicicleta.

– Não abra mão de capacete e sempre que tiver que andar pela rua atenção redobrada com buracos e sinalização.

– Ouça o trânsito, evite pedalar com fones de ouvido na rua, sobretudo se você não tem tanta experiência, na ciclovia é mais tranquilo.

– Não tumultue a ciclovia. A ciclovia é uma via expressa para bikes, então o ideal é sair desta caso tenha que parar para tirar fotos ou para qualquer outro motivo. De preferência não andar lado a lado, sobretudo se esta estiver movimentada. 

– Se você passar de 20km/h, vá pela pista de carros, já que este é o limite máximo para pedalar na ciclovia. Porém, na pista de carros, pedalar só é permitido se não for uma via de alta velocidade (não vale querer entrar no Rebouças, tá? 😛 ).

– É interessante antes de sair pedalando, marcar o trajeto e paradas em aplicativos como o Strava, Google Trips ou Maps.me, que podem auxiliar bastante.

– Nos sábados, domingos e feriados é possível entrar no metrô com a bike; na Supervia só é permitido aos domingos. O transporte é feito sempre no último vagão.

– Sempre que for parar tranque a bicicleta com cadeado, de preferência o tipo U.

– Algumas dicas reunidas, inclusive com leis de trânsito para bikes: viapedal.com/dica_regra

Bom giro! 🙂 #respeitoumcarroamenos

Saiba mais sobre nossas experiências de bicicleta

⭐ Guia da bicicleta no Rio de Janeiro: tudo que você precisa saber para pedalar na cidade
⭐ 5 trajetos leves para explorar o Rio de Janeiro de bicicleta
⭐ Biketrip: mas afinal, como é viajar de bicicleta?
⭐ Old Delhi de bicicleta: como foi a experiência de pedalar na capital da Índia
⭐ Cicloviagem e Couchsurfing: Visitando o Cactuário de Zapotitlán Salinas, em Puebla, México
⭐ Atravessando fronteiras terrestres: cicloviagem trecho Bacalar, Quintana Roo para Belize City

💡 Conheça o Rio de Janeiro no pedal com a gente reservando nossa experiência do Airbnb!

Posts relacionados

6 Comentários

Feira de São Cristóvão: um pedacinho de nordeste no Rio – Gira Mundo 27/12/2017 - 19:16

[…] de Janeiro Praias: Rio de janeiro sem clichê: explorando do Pontal a Guaratiba Rolé de bike: Conhecendo o Rio de bike Raízes: Zona Portuária além da Praça Mauá: conheça o Circuito da Herança Africana, no RJ […]

Reply
O que fazer no Rio: conheça Santa Teresa | Gira Mundo – Dicas de Viagem e Roteiros Personalizados 04/10/2019 - 10:53

[…] de Madureira, no Rio de Janeiro Paquetá: nossas dicas da ilha mais charmosa do Rio de Janeiro Conhecendo o Rio de bike Feira de São Cristóvão: um pedacinho de nordeste no Rio Rio de janeiro sem clichê: explorando do […]

Reply
Lapa dos cariocas: dicas locais do que fazer no bairro boêmio do Rio de Janeiro | Gira Mundo – Dicas de Viagem e Roteiros Personalizados 04/10/2019 - 15:19

[…] de Madureira, no Rio de Janeiro Paquetá: nossas dicas da ilha mais charmosa do Rio de Janeiro Conhecendo o Rio de bike Feira de São Cristóvão: um pedacinho de nordeste no Rio Rio de janeiro sem clichê: explorando do […]

Reply
5 roteiros de ciclismo para explorar o Rio de Janeiro (trajetos médios/avançados) | Gira Mundo 30/10/2020 - 16:18

[…] Se você procura um pedal de passeio, em ciclovias e vias de velocidade baixa, acesse esta outra matéria: Para saber de todas as dicas práticas, desde onde alugar bicicleta, clubes de pedal e dicas de segurança, leia: Guia da bicicleta no Rio de Janeiro: tudo que você precisa saber para pedalar na cidade […]

Reply
5 roteiros para explorar o Rio de Janeiro de bicicleta (trajetos leves) | Gira Mundo 30/10/2020 - 16:27

[…] Saiba mais: Guia da bicicleta no Rio de Janeiro: tudo que você precisa saber para pedalar na cidade […]

Reply

Deixar um comentário

EnglishFrenchPortugueseSpanish