Home Américas 5 Motivos que vão te convencer a incluir Chiapas em seu roteiro pelo México

5 Motivos que vão te convencer a incluir Chiapas em seu roteiro pelo México

por Ursulla Lodi
5 Motivos que vão te convencer a incluir Chiapas em seu roteiro pelo México

Descendo em direção ao sul em nosso Roteiro de 16 dias pelo México, fiquei maravilhada com o estado de Chiapas! Sítios arqueológicos, belezas naturais, cultura Maia, que nos levam muito além do que temos em nosso imaginário como característico do país.

Aqui vão 5 motivos que vão te convencer a acrescentar esse lugar pouco conhecido por aqui no seu roteiro pelo México:

1. Sítio Arqueológico Maia de Palenque:

A Cidade Maia de Palenque é sem dúvida um dos sítios arqueológicos mais interessantes do México. Apesar de ser menor que o sítio de Tikal ou Copán, na Guatemala, conta com alguns dos melhores exemplos de arquitetura e escultura produzidos pelos maias, com múltiplas pirâmides. As ruínas são formadas por um conjunto de cerca de 500 edifícios que ocupam uma extensão de mais de 15 km! Famosa pelo reinado de Pacal, o Grande, acredita-se que originalmente tenha sido uma civilização liderada por mulheres. O Palácio de La Reina Roja, onde foram encontradas suas ossadas, tiara e máscara  de jade é inclusive anterior ao Palácio de Pacal.

img_1634

Como sempre, aconselha-se chegar aos sítios arqueológicos cedo, pois mais tarde, além do calor, ficam bem cheios.

img_1643

O palácio de la Reina Roja

2. Cânion do Sumidero:

O cânion situado no município de Chiapa de Corzo, a cerca de 5km de Tuxtla Gutierrez, capital de Chiapas, é uma das paisagens mais arrebatadoras e singulares do México em termos de beleza natural. O passeio de lancha pelo rio Grijalvra, apesar de ser um passeio bem turístico, é indispensável. O rio, com profundidade de até 250 metros é cercado de imensos paredões de pedra de até 1.000 metros de altura (isso mesmo 1km de altura!), com escarpas e vegetações que formam lindas cascatas em seu percurso. Em suas margens, com sorte, é possível ver crocodilos, além de preguiças, iguanas e macacos nas árvores. O passeio é espetacular e nos mostra o quão diverso México pode ser, tendo desde regiões desérticas áridas e secas de nosso imaginário à florestas tropicais, rios e cachoeiras. Mágico!

Na lancha, todos devem utilizar colete de salva-vidas e, como esta pode ir rápido, escolha bem o seu lugar para garantir as fotografias! Se você enjoa com facilidade é recomendado tomar algum remédio antes do passeio, que dura aproximadamente 2h, pelos 35km do cânion até a hidrelétrica de Chicoasén. A crítica é que apesar do visual de deixar qualquer um boquiaberto, o rio é bem poluído. Se quiser curtir ainda mais o visual do cânion recomenda-se ir até os miradores do cânion, onde é possível um panorama diferente.

img_1491

Os paredões do Cânion do Sumidero de até 1km de altura

Valor: 200 MXN (cerca de R$40-45). É possível sair de San Cristóbal, basta tomar um ônibus no Terminal de Autobuses, no centro da pequena cidade e comprar uma passagem para Chiapa de Corzo, por 30 MXN (R$6-7) cada perna. O ponto de parada deve ser na rodovia, perto da ponte San Cristóbal, mas é recomendável avisar o motorista que se está indo para o Cañón del Sumidero. Como os horários são bem variáveis, se você quiser se planejar, compre a passagem para os dias seguintes assim que chegar na cidade. Outra opção, por preços maiores, é contratar um passeio fechado.

3. A cidade de San Cristóbal de las Casas:

A capital de Chiapas é Tuxtla Gutierréz, cidade grande pela qual passamos para ir ao Cânion do Sumidero. Mas a cidade mais interessante da região é a gracinha San Cristóbal de Las Casas, que foi nossa base neste trecho da viagem. Situada no vale das terras altas, é um misto de cidade colonial bem preservada com cidade serrana. A cidade é a queridinha dos mochileiros e dos estudantes, com ótimos restaurantes, cafés, lojinhas, hotéis, além de pequenas feiras de artesanato, ruas de pedra peatonais, construções coloridas e um belo zocálo. Vale a pena a visita ao Templo de Santo Domingo, a feira indígena de artesanato, ao Centro de Textiles del Mundo Maya, e tendo tempo o Museu del Ambar, fazendo tudo a pé!

dsc02091

Todo o charme da cidade colonial de San Cristóbal de Las Casas

4. Cascatas da Água Azul:

As cascatas da Água Azul, foram as mais belas cachoeiras que eu já fui, continuo com a mesma opinião mesmo depois de visitar as nossas Chapadas. Como o nome diz, a beleza está nas volumosas águas azuis turquesa, de um azul muito intenso. As lindas cascatas, formadas pelos afluentes do rio Otulún, são cenário de uma reserva de proteção da fauna e da flora da região, distante 60km da cidade Maia de Palenque, sendo comuns passeios turísticos que oferecem os dois passeios conjugados.

Apesar de serem a coisa mais linda, para meu espanto, muitos turistas não entram na água. Mas não cometa esse erro! O mergulho é mais do que recomendado e lava qualquer alma. Então, não se esqueça de levar roupa de banho! No local, existem vestiários para trocar de roupa, pequeno artesanato, vendinhas de coco, cana de açúcar descascada e aperitivos de banana frita, além de restaurantes que servem peixe fresco e ótimos nachos com guacamole.

img_1583

nntmt20-20aqua20azul

O rio Otulún visto de cima, foto retirada da internet

Atenção: como nesta região de Chiapas é comum movimentos zapatistas, não se assuste se encontrar paralisações ou greves na estrada. Além disso, na entrada da reserva é comum portarias falsas, cobrando ingressos falsos, como um passe. Por este motivo, recomendo fazer esse passeio com um grupo fechado. O preço do ingresso oficial é 30 MXN.

5. Visita às Comunidades Maias:

Chiapas, que faz fronteira com a Guatemala, tem um terço de sua população descendente dos maias,  muitos, inclusive, preservam seus costumes únicos, o idioma pré-hispânico e suas vestimentas com as características particulares de cada comunidade. Partindo de San Cristóbal, duas comunidades que considero a visita indispensável são as vilas de San Juan Chamula e San Lorenzo Zinacantán. As duas me impressionaram muito, e marcaram a minha visita ao país. Confira o post completo sobre essas comunidades no link!

img_1553

As mais floridas de San Lorenzo Zinacatán

Infelizmente, tenho pouquíssimos registros fotográficos desses povoados, pois os maias acreditam que a fotografia rouba suas almas. As poucas fotos são discretas, no exterior dos templos, com cautela. É recomendável ir com um guia nessas comunidades, para ter acesso a todos os locais.

Gostou desse post? Que tal dar uma olhada em outros posts sobre o México:
Roteiro de 16 dias pelo México
Cidade do México: o que não pode faltar na sua viagem para a capital mexicana
Visita às comunidades Maias de San Juan Chamula e San Lorenzo Zinacantán
Bom giro! 🙂

Posts relacionados

3 Comentários

Visita às comunidades Maias de San Juan Chamula e San Lorenzo Zinacantán – Gira Mundo 18/09/2016 - 17:54

[…] Chiapas, estado mexicano que faz fronteira com a Guatemala, tem um terço de sua população descendente dos maias.  Muitos, inclusive, preservam seus costumes, o idioma pré-hispânico e suas vestimentas com as características particulares de cada comunidade. Partindo da cidade colonial de San Cristóbal de Las Casas, na região central do estado, duas comunidades que considero a visita indispensável são as vilas de San Juan Chamula e San Lorenzo Zinacantán. As duas me impressionaram muito e marcaram a minha visita ao México. Ambos os povoados, mantiveram muito de suas identidades culturais únicas e religião, que mistura as crenças católicas com as crenças pré-hispânicas fundadas no animismo. […]

Reply
Cidade do México: o que não pode faltar na sua viagem para a capital mexicana – Gira Mundo 18/09/2016 - 18:49

[…] 5 Motivos que vão te convencer a incluir Chiapas em seu roteiro pelo México […]

Reply
Roteiro de 16 dias pelo México – Gira Mundo 18/09/2016 - 18:51

[…] 5 Motivos que vão te convencer a incluir Chiapas em seu roteiro pelo México […]

Reply

Deixar um comentário

EnglishFrenchPortugueseSpanish