Home Giro no Brasil Inhotim e BH em 3 dias

Inhotim e BH em 3 dias

por Gabriela Mendes
Inhotim e BH em 3 dias

Não dá mesmo pra definir Inhotim, porque a experiência de cada pessoa que visita o local é única. O que eu posso dizer é que me surpreendeu, de verdade. Eu sou apaixonada por arte e há um tempo queria tirar uns dias pra conhecer o maior museu de arte contemporânea a céu aberto da América Latina – mas vou te falar que até quem não curte taaanto arte gosta muito de lá!

O Instituto de Inhotim é um museu-parque-reserva ecológica, que fica na cidade de Brumadinho, em Minas Gerais. São 23 galerias e diversas obras espalhadas por 96 hectares(!). Ou seja, o espaço é gigantesco e rodeado por plantas e um paisagismo lindíssimo, o que dá um respiro entre as atrações.

Sem falar das outras vertentes do instituto: arquitetura e design de ponta, que criam composições que nos fazem viajar no trabalho do artista – não é à toa que o Inhotim é referência internacional.

Para facilitar esse bate e volta, arrumei várias dicas minhas e da Ursa, juntando muitas informações sobre o parque um relato e orçamento da minha viagem em um único post!

IMG_2269

Inhotim: arte entre lagos e jardins

Meu roteiro

Dia 1: Rio de Janeiro > Belo Horizonte > Brumadinho

Saí do Rio no dia anterior, às 23:30, e chegamos às 6h em BH. Para conhecer um pouco da cidade, deixamos as mochilas na rodoviária (R$ 12 por 24h). Belo Horizonte ainda não tinha acordado, fomos andando no centro até a confeitaria Mole Antonelliana (20min de caminhada), que era um dos únicos lugares que abriam às 7h30 para tomar um café com pão de queijo – uma delícia por sinal!

Logo depois, fomos ao Parque Municipal (5 min de caminhada) e aproveitamos pra tirar um cochilo na grama. Saindo de lá, fomos andando até a Praça da Liberdade (15 min de caminhada), visitamos o Memorial Minas Gerais e seguimos caminho para o Mercado Central (20min de caminhada).

Vale muito a pena conhecer o Mercado Central, que tem produtos de todos os tipos, inclusive delícias mineiras: doce de leite, goiabada, queijo da Serra da Canastra e todas as compotas que você possa imaginar… Outra grande atração do local é o restaurante Casa Grande, imperdível se está indo na hora do almoço! Um prato bem servido para um pessoa custa na faixa de R$ 26 – 29. Mas se prepare porque a fila de espera é grande.

Se você preferir começar o dia no Mercado Central, passando rapidamente por lá antes de seguir pra Brumadinho, uma boa pedida é tomar café da manhã na Confeitaria Dois Irmãos: broinha de milho, pão de queijo de todos os tipos e café moído na hora; essa foi a pedida da Ursa.

_DSC0032

Refeição no restaurante Casa Grande

Depois da visita ao mercado, no final da tarde fomos para o ponto da Praça Sete e pegamos o ônibus para Brumadinho (veja abaixo em “como ir”).

Uma alternativa ainda em BH é conhecer a Pampulha, que tem um parque lindo e opções excelentes de restaurantes. Fica um pouco mais longe, mas nada que um ônibus ou Uber não resolvam. 🙂

Dia 2: Brumadinho

Tiramos o dia todo para conhecer Inhotim. À noite, nos recomendaram um restaurante chamado Ponto Gê, em Brumadinho. Custa R$ 40 por pessoa e você pode comer o quanto quiser. A especialidade é mineira e natureba, com ambiente aconchegante. Não achei nada demais e um pouco caro para o que eles propõem, mas não tem nenhuma outra opção melhor na cidade.

É possível também pedir algo na pousada, ou na sua hospedagem. Existem opções de lugares baratinhos que entregam caldos, pizzas e sanduíches.

IMG_2253

Na galeria 14, de Valeska Soares

Dia 3: Brumadinho > Belo Horizonte > Rio de Janeiro

Também chegamos cedinho no parque e às 19h pegamos o ônibus intermunicipal de volta pra BH. Às 23:30 saía nosso ônibus de volta pro Rio.

Quando ir

De preferência em dias sem chuva, já que a circulação pelo parque é toda ao ar livre. Vale a pena ir à Inhotim durante a semana, quando tem menos visitantes. Se for fim de semana chegue bem cedo para poder aproveitar mais!

Fique de olho na programação do Inhotim. Se você curte eventos multiculturais e quer ter uma experiência diferente no parque pode ser interessante ir no MECAInhotim, que está agora em sua segunda edição. Durante o MECA é possível acampar nas cercanias do parque curtindo suas palestras, shows, workshops e atividades. Mais informações no site.

Como ir

Nós pegamos o ônibus intermunicipal para Brumadinho na Praça Sete, centro de Belo Horizonte. Ele passa até meia noite e custa R$ 8,20. Foi perrengue na ida (porque tava muito cheio) e tranquilo na volta. A viagem da ida durou 2h30 e da volta 1h30.

Outra opção é o ônibus da Saritur sai de terça a domingo da rodoviária de BH. Veja os horários e preços aqui.

Pra quem vai de carro ou planeja alugar um, são 60km de Belo Horizonte até Brumadinho, numa viagem de 1 hora, mais ou menos.

É bom saber que existem serviços de motorista que fazem ida e volta de BH e todos os deslocamentos em Brumadinho – foi a opção da Ursa, o carro custou R$420, para dois dias. O contato é esse aqui: Bruno (31)8560-2526. Dependendo do número de pessoas para rachar e do tipo de viagem, pode valer a pena!

Quem sai do Rio de Janeiro e não vai de carro ou ponte aérea, tem a opção de comprar passagens de ônibus da viação Cometa ou Útil com vários horários de partida. Veja mais aqui.

Onde se hospedar

Eu fiquei no Hostel 70 e o quarto para casal com banheiro compartilhado e café da manhã custou R$ 90 a diária. O hostel era bem simples, não fiquei super satisfeita porque o café da manhã era bem fraco, mas a cama era confortável e o banho quente. 🙂 Eles têm duas unidades, uma no centro de Brumadinho e a outra mais próxima ao parque (a que eu fiquei).

Já a Ursa ficou numa pousada super aconchegante em Mário Campos, cidade vizinha de Brumadinho, chamada Estância das Angolas. O quarto para até 7 pessoas custou R$296 a diária. O café da manhã é ótimo, super completo, porém, só vale a pena se você estiver de carro.

Tanto Brumadinho quanto Mário Campos são pequenas cidades, sem nenhum atrativo além de Inhotim, nadica de nada. Mas de qualquer maneira vale a pena pernoitar por lá para facilitar, sobretudo se for visitar o Inhotim por mais de um dia.

Outra opção interessante é optar por um AirBnB, tanto em Brumadinho quanto em BH, se tiver que dormir na capital na ida ou na volta.

Quanto tempo ficar

Dois dias de visitação no parque são suficientes para conhecer tudo. Um dia é muito pouco, não dá tempo mesmo! Em três dias é possível ver tudo com calma. Quem não gosta de andar, ou quer curtir com mais calma, pode alugar carrinhos pra circular dentro do parque por R$28. Gestantes e pessoas com dificuldade de locomoção tem direito a um passeio de carrinho gratuito com um acompanhante (se informar na recepção do parque).

IMG_2257

Onde comer

O parque possui um restaurante a quilo de comida mineira barato, o Restaurante Helio Oiticica. É gostosinho! Há também lanchonetes e outras duas opções como o Restaurante Tamboril e o Bar do Ganso, que são mais caros e requintados. O Café das Flores, ao lado da lojinha também é uma boa pedida para um café com bolo e pão de queijo no final do dia.

Como visitar o parque

A quantidade de atrações assusta mesmo! Mas relaxa, que em dois dias dá pra ver tudo. A dica é simples: divida os dias em duas partes. Um dia todo na parque laranja e outro na parte amarela e na rosa.

Do que eu mais gostei?

Gosto não se discute, ainda mais quando se trata de arte contemporânea. Mas, se eu for listar o que mais me chamou atenção foi: Galeria Psicoativa do Tunga, Galeria Adriana Varejão, GalpãoGaleria Lygia PapeGaleria Miguel Rio Branco e a obra de Doug Aitken, o Som da Terra.

Já a Ursa destacou além desses a Galeria Cildo Meireles, Galeria Cláudia Audajur, Galeria Cosmococa e a Galeria Praça, com o trabalho de Luiz Zerbini e o coral de Janet Cardif.

Ingressos, visitação e mais detalhes

Preços dos ingressos e horários

Segunda: fechado
Terça e quinta: R$ 25
Quarta: grátis 🙂
Quinta a domingo: R$ 40

Há meia entrada para estudantes, professores, crianças de 6 a 12 anos e idosos.

>É possível comprar passaportes com desconto se você for ficar mais dias. Nós compramos o de dois dias e custou R$72.
>Horários de terça a sexta: 9h30 às 16h30; sextas, sábados, domingos e feriados: 9h às 17h30.
Mais informações aqui: http://www.inhotim.org.br/

Saiu do parque e tá sem carro?

Pra resolver isso nós fizemos da forma clássica, pedindo carona. Deu certo! 🙂

_DSC0151

Dentro da obra de Doug Aitken

Total de Gastos

Ônibus Rio-BH-Rio: R$ 200
Ônibus BH-Brumadinho-BH: R$ 16,40
Comida: R$ 200
Ingresso de Inhotim: R$ 35

Total: R$ 451,40

Posts relacionados

5 Comentários

Inhotim + BH em três dias - Eiras Junior - Designer de Interiores no Rio de Janeiro 15/03/2017 - 22:03

[…] Publicado por GABRIELA MENDES em 22 DE AGOSTO DE 2016 […]

Reply
Museus em Nova York: saiba quais incluir no seu roteiro – Gira Mundo 13/06/2017 - 10:05

[…] museu é como se fosse um “Inhotim de Nova York”, já que fica no município de Beacon, a uma distância de 1h30. Vale muito a […]

Reply
14 fotos do Inhotim: o maior museu de arte contemporânea da América Latina – Gira Mundo 03/07/2017 - 14:50

[…] ver todas as nossas dicas não deixe de conferir também o nosso post completo do Inhotim. […]

Reply
valesca 18/07/2018 - 22:19

Olá, boa noite, gostei bastante das dicas, gostaria de saber se este ónibus intemunicipal que pegaram na praça sete deixa muito longe de inhotim? é possivél fazer o trajeto a pé?

Reply
Gabriela Mendes 19/07/2018 - 10:46

Oi Valesca, tudo bem? Ele deixa na rodoviária de Brumadinho, que é longe de Inhotim. A opção mais fácil é pegar um táxi até lá, que dá, no máximo R$20. Inhotim fica um pouco distante do centro de Brumadinho, você pode ir andando, mas leva 45min-1h de caminhada.

Reply

Deixar um comentário

pt_BRPT_BR
en_USEN pt_BRPT_BR