Home Fernando de Noronha Guia de dicas de Fernando de Noronha

Guia de dicas de Fernando de Noronha

por Ursulla Lodi
Guia de dicas de Fernando de Noronha

Não foi exagero dos seus amigos! Noronha merece a fama que tem. É realmente um paraíso na terra, em que todos os ângulos são favoráveis. Mas, sendo um roteiro muito turístico e devido aos 400km que separam a ilha do continente acaba sendo uma viagem cara e difícil de sair do mainstream. Montamos um guia de dicas para você conseguir aproveitar ao máximo sua estadia na ilha!

10

Visual da Praia do Bode

Quando ir?

As chuvas acontecem de março a julho e, consequentemente, esta é a baixa temporada. A vantagem de ir nessa época é que com a ilha mais vazia é possível achar menores preços, mas talvez não de pra curtir tanto a praia. Porém, é mais importante se preocupar com as condições do mar, explico.

Os nativos brincam que existem duas Noronhas: o Caribe brasileiro e o Havaí brasileiro. De abril a setembro o mar de dentro tem as melhores condições de mergulho – as praias do Sancho e a Baía dos Porcos ficam que nem no cartão postal: sem nenhuma onda, uma grande piscina, ideal para curtir o mundo submerso. Agora se o seu negócio é surfar, deixe para ir de dezembro a março, quando o swell cria ondas perfeitas na Cacimba do Padre, Boldró, e Conceição.

Fui no verão, no mês de janeiro e consegui mergulhar em vários pontos, além de pegar bastante sol, apesar da Praia do Sancho não estar o cartão postal que é nos meses de agosto e setembro. Em compensação a praia do Leão, que normalmente tem muita corrente, no início do ano fica lindíssima, conseguimos ir até a Pedra do Leão com máscara, snorkel e nadadeira. Ou seja, cada época tem a sua vantagem.

5

Visual da Praia do Leão, considerada a mais perigosa da ilha devido às correntes que se formam, no início do ano costuma ser essa miragem azul.

Como chegar?

vôos diários do Recife, pela Gol (Boeing 737-700) e pela Azul (turbo-hélice ATR 72), e de Natal, apenas pela Azul (com ATR 72). A dica é ficar atento nas promoções do submarino viagens e no passagens imperdíveis.

Taxas da Ilha

Todo visitante deve pagar a taxa de preservação (TPA) de acordo com o número de dias que permanecer na ilha, que pode ser quitada com antecedência através da emissão do  boleto pela internet.  O desembarque se divide em duas filas: uma para quem vai pagar na hora e outra mais rápida para quem já pagou. A taxa é carinha, aproximadamente 64 reais por dia de estadia, mas acho justificável pela preservação do ecossistema e controle feito pelo ICMBio.

Além da TPA, há a taxa do passaporte para entrada na área do Parque Nacional Marinho (praias do Sancho, Baía dos Porcos, Leão, Sueste e Atalaia), em que estão isentos menores de 12 anos, moradores e pesquisadores à serviço. Você pode conhecer Noronha sem pagar essa taxa, mas não vale a pena, pois restringirá em muito sua visita. O ingresso que custa R$89 para brasileiros e R$178 para estrangeiros também pode ser comprado com antecedência no link, ou em qualquer um dos PICs espalhados pela ilha. De qualquer maneira você deverá tirar a foto e retirar seu cartão de ingresso chegando por lá, o que pode ser feito no estande da Praça do Flamboyant, na Vila dos Remédios.

Para sair do aeroporto o ideal é combinar antecipadamente o transfer com a pousada. Algumas empresas de passeios como a Na Onda também oferecem o serviço.

Quantos dias ficar em Fernando de Noronha?

Apesar da ilha ser bem pequena, recomendo ficar ao menos 5 dias, para poder apreciar e desfrutar com calma desse pequeno paraíso. Se você sonha em ir e curte muito praia, separa 7 dias ou mais!

6

Vista do mirante da Praia do Sancho. Mesmo com o swell, continua sendo lindíssima. Nos meses de agosto e setembro fica sem onda nenhuma, que nem um cartão postal.

Onde ficar em Fernando de Noronha?

A maioria das pousadas fica em uma das três vilas: Vila dos Remédios, Vila dos Trinta e na Vila Floresta Nova. A Vila dos Remédios é o centrinho principal, onde fica a maioria dos restaurantes. A Vila Floresta Nova fica à altura da Vila dos Remédios, do outro lado da rodovia e a Vila dos Trinta fica na direção do porto, 1 ponto depois da Praça do Flamboyant, onde estão localizados os principais mercadinhos e onde mora a maioria dos nativos. Mas a ilha toda é muito pequena e fácil de se deslocar, confira aqui o mapa para ter uma noção.

Os preços das pousadas variam muito, a dica é escolher a que cabe no seu bolso. Para ajudar na sua escolha, você pode conferir o guia de pousadas do Viaje na Viagem. Ficamos na Pousada Magia na Vila dos Trinta, e foi ótima nossa estadia. Pousada pequena e pessoal atencioso, além de um bom café da manhã.

É uma pena, mas não tem nenhum camping na ilha. É terminantemente proibido acampar, inclusive você deve informar onde ficará hospedado para ter autorização de entrada.

14

Pôr do Sol visto do mirante da Air France

Passeios e sugestões do que fazer

Passeios de barco e o Ilha Tour

Os passeios mais comuns são o Ilha Tour e passeios de barco, feitos por diversas empresas como a Atalaia e a Na Onda por em média R$100. Mas sinceramente, acho estes dispensáveis, quase como tempo perdido que você poderia estar aproveitando a ilha com mais tranquilidade.

O Ilha Tour nada mais é do que um giro pela ilha feito nas caminhonetes que começa com um mergulho no sueste para ver as tartarugas, e depois parando no Leão, mirante da Baia dos Porcos, Sancho, Buraco da Raquel, Enseada da Caieira, e no final pôr do sol no mirante do Boldró. A vantagem é que, se feito no primeiro dia, dá uma noção geral de localização da ilha. Porém, acaba sendo cansativo e extremamente turístico. Acho mais válido ir em todos esses pontos por conta própria e apreciar com a calma que o lugar merece.

Quanto ao passeio de barco para ver os golfinhos, não acho muito legal. Os golfinhos machos se aproximam do barco numa tentativa de proteger seus filhotes, que ficam mais distantes com as fêmeas. Esse tipo de turismo tem acabado por afastá-los de Noronha, a ilha, que já foi chamada pelos franceses de Ilha dos Golfinhos, não recebe mais a mesma quantidade de golfinhos que costumava receber no passado.

Na minha opinião, os passeios mais interessantes são as trilhas, mergulhar e curtir as praias com tranquilidade, procurando as piscininhas naturais que se formam na maré seca. Então aqui vão algumas dicas do que fazer na ilha.

9

Relaxar em uma piscininha natural e apreciar a paisagem é uma das melhores pedidas.

Para o primeiro dia

Chegando no primeiro dia, uma boa é ir logo na Praça Flamboyant para tirar a foto e pegar o passaporte do Parque Nacional Marinho, que te permitirá circular por toda a ilha. Se quer mergulhar, recomendo muito a operadora Atlantis, que fica também no centrinho da Vila dos Remédios, atrás do Santander. Aproveite para agendar logo seu mergulho e fique para um pôr do sol de boas vindas no Forte Nossa Senhora dos Remédios, com vista para o Morro do Pico. Um outro passeio interessante é uma pequena caminhada histórica pelas ruínas do antigo presídio.

3

Pôr do sol visto do Forte Nossa Senhora dos Remédios.

Trilhas

Se você curte aventura são passeios imperdíveis! As mais legais são a da Atalaia Longa (5km), dos Abreus (3km) e do Capim Açú (7km), trilhas que mixam caminhada nas pedras com flutuação nas piscinas naturais, verdadeiros berçários da vida marinha onde é possível avistar peixes dos mais diferentes tipos, tartarugas, filhotes de polvo e de tubarão.

Mas atenção, todas devem ser marcadas com antecedência no ICMBio! É possível fazer por conta própria a trilha dos Abreus, mas a Atalaia Longa e Capim Açú exigem guia (R$120 por pessoa). Recomendo bastante o guia com quem eu fiz as trilhas, Felipe Rogério, cara simpático e atencioso. Dá pra ir também sozinho, agendando previamente, até a praia do Atalaia, primeira piscina natural da trilha da Atalaia Longa, mas acho muito válida a trilha completa, que talvez seja a mais bonita da ilha!

Contato do Guia Felipe Rogério: tel(81)9654-8145. Se você tem certeza que você vai querer fazer alguma dessas trilhas, já manda um Whats App pra ele antes mesmo de chegar na ilha, para garantir o passeio!

O que levar: água, lanche de trilha, máscara, máquina fotográfica, snorkel, colete e tênis no pé.

Mergulho

Fernando de Noronha é o melhor ponto de mergulho do país tanto pela visibilidade incrível (que pode chegar à 50m!) quanto pela fauna marinha, então não perca essa oportunidade única! Existem várias operadoras que fazem mergulho com scuba na ilha, mas recomendo muito o serviço da Atlantis Divers, centro autorizado mais tradicional que opera tanto o mergulho de batismo quanto o avançado. Pode ser um passeio carinho (R$400-540), mas te garanto que não vai se arrepender.

Para saber mais sobre mergulho em Noronha veja o nosso post: Mergulhando em Fernando de Noronha

AAN_7951

Mergulho em Noronha, na Ilha do Meio. A fauna marinha e a visibilidade que pode chegar à 50m, fazem com que você se sinta num verdadeiro aquário em que você é o visitante.

Outros passeios

Snorkeling

No Porto, Leão e Sancho, ou atrás das tartarugas e dos filhotes de tubarão no Sueste, na parte da manhã. Máscara e snorkel são itens indispensáveis! Deixe-os sempre na mochila. Se tiver nadadeiras vale a pena levar também.

Piscinas naturais

Começando pela Cacimba do Padre no auge da maré seca dá pra andar até a Baia dos Porcos por uma pequena trilha. No caminho, ficamos de cara com os Dois Irmãos. Na Baia dos Porcos é possível relaxar nas piscinas naturais, mas fique de olho na hora, pra não voltar com a maré cheia. Voltando pra Cacimba, continue o passeio procurando outras piscininhas naturais pelas praias do Bode e Americano.

8

Na maré baixa é possível caminhar da Cacimba do Padre para Baía dos Porcos, no caminho ficamos de cara para os Dois Irmãos.

Palestras do Projeto Tamar

Acontecem todos os dias às 20h. É interessante conhecer um pouquinho do trabalho deles. Cada dia tem um tema: tubarão, tartarugas, golfinhos, etc. Se informe na pousada.

Rapel no Morro do Piquinho

A empresa ATM que fica ao lado do Projeto Tamar faz toda tarde (R$150). São 55m de descida e 700m de subida por trilha, recomendável ir de calça e calçado apropriado.

Piscina do Morro de São José

O lugar mais lindo de Noronha, mas tem que visitar com a maré muito baixa, geralmente alcançada na lua cheia. Vá apenas com guia, pois não é fácil de achar.

Buraco do Galego

À direita na Praia do Cachorro, fica  o chamado Buraco do Galego, uma linda banheira azul em que é possível mergulhar e ficar de molho durante a maré baixa. Não deixe de conferir!

Melhores praias para curtir o dia

Sancho, Leão, Conceição e Cacimba do Padre. Reserve ao menos uma manhã ou uma tarde para cada uma dessas.

SUP e caiaque

São possíveis de serem alugados no Porto e são uma ótima pedida para quem não dispensa um esporte ao ar livre!

Mirante dos golfinhos

Pequena caminhada a pé, partindo do PIC do Sancho, onde podemos conhecer um pouquinho do Projeto Golfinho Rotador. Se quer ver os golfinhos entrando na Baía dos Golfinhos, tem que chegar bem cedo, eles costumam entrar ao sol nascer. Mergulhos e banhos são estritamente proibidos.

Ponta das Caracas

A vista do encontro do Mar de Dentro com o Mar de Fora no recife é de tirar o fôlego!

Quem se cansa de pôr do sol?

No final de tarde é comum um movimento dos turistas para apreciar este espetáculo da natureza. Os melhores pontos são no Forte São Pedro do Boldró, no Forte da Nossa Senhora dos Remédios e no mirante da Air France, no Forte Santo Antônio, pertinho da praia da Caieira e do Buraco da Raquel, onde é possível também observar os tubarões entrando na enseada para se alimentar no final da tarde, se a maré não estiver tão seca.

1.jpg

Vista do pôr do sol visto do Boldró. Som de violão e cervejinha para acompanhar.

Onde comer

Noronha também é muito famosa pelo seu roteiro gastronômico. Há muitas opções deliciosas, porém caras. A dica para aproveitar sem gastar uma fortuna, é tomar um bom café da manhã, fazer um lanche de dia como uma tapioca ou um açaí e deixar para jantar a noite em algum dos restaurantes da ilha, pois são muito gostosos! Aqui vão algumas recomendações especiais:

Varandas ($$$): Localizado na Vila dos Trinta é famoso pelo gratinado de frutos do mar. Mas o que ganhou meu coração é o camarão cremoso com abóbora. Os pratos são muito bem servidos, mesmo os de 1 pessoa dá para dividir, sobretudo pedindo uma sobremesa ou entradinha.

Cacimba Bistrô ($$$):

No centrinho da Vila dos Remédios, perto do Santander, possui um pastel de lagosta de comer rezando!

Mãezinha ($):

Em frente à Praça Flamboyant, é uma ótima opção para almoço barato! O cuzcuz de milho é uma ótima pedida, podendo ser com polvo, camarão, carne de sol ou com queijo coalho, acompanhando um filé de peixe. Tem água de coco!

Peixe das Gêmeas ($$):

A Barraca das gêmeas na praia da Cacimba do Padre é famosa pelo prato de peixe que pode ser frito ou assado na folha de bananeira. O preço compensa, pois alimenta duas pessoas ou mais! Mas leve um repelente, pois o bicho pega já que o lugar é aberto!

Mergulhão ($$$$)

Na frente do porto, o local é super agradável para apreciar um pôr do sol, em suas mesinhas no chão. Deixe para ir no final da trilha do Atalaia Longa ou a noite para um jantar romântico. Os peixes são ótimos! Os pratos são individuais.

Corveta ($$$)

Na Vila dos Remédios, ótima opção para almoço, PF por R$39. Os petiscos também são deliciosos!

Bar do Cachorro ($$$)

A balada oficial da ilha, é um ótimo lugar para comer um petisco e ver um bonito pôr do sol.

Festival  gastronômico do Zé Maria ($$$$$)

Também é muito famoso, acontece toda as quartas e sábados a partir das 20:30h. Mas precisa de reserva e tem o preço bem salgado (R$300) então eu, particularmente, dispensei!

Pizzaria Namoita ($$)

Pra comer em ambiente rústico ou pra pedir na pousada, no dia que ficou com preguiça de sair. Esse é o melhor delivery da ilha. Pizza gostosa, de massa fininha por preço justo. tel:(81)3619-1914

4

Fim de tarde no porto, no restaurante Mergulhão.

Diversão Noturna

Tem agito todo dia na ilha, mas começa bem tarde, então se programe para não deixar de curtir o dia seguinte! Se liga na programação:

Segunda: Maracatu e Forró no Bar do Cachorro – 22:30
Terça: Pop Rock no Ginga Bar – 21:00h
Quarta: Forró no Bar do Cachorro – 22:30h
Quinta: Reggae na Pizzaria – 23:00h
Sexta: Forró no Bar do Cachorro – 23:30h
Sábado: Reggae na Pizzaria – 23:00h
Domingo: Samba do lado da Igreja dos Remédios – 22:30h

Se locomovendo pela ilha

Noronha é uma ilha bem pequena, logo no primeiro dia você vai já se familiarizar com facilidade. A melhor maneira para se locomover na ilha é andando a pé ou utilizando os ônibus (R$3) que passam de 30 em 30min sentido Porto e Sueste, funcionando das 7 às 23h. O aluguel de buggy (R$150-400) ou moto (R$80-150) não é necessário, apesar de poder ser divertido por 1 dia, mas cuidado com os preços que dependendo da época podem ser bem abusivos! Tem ainda a opção de marcar um táxi (R$15-35 por corrida) o que é interessante para ir até a praia da Cacimba do Padre, já que é uma caminhada de 2km da rodovia até a praia. Sempre dá pra tentar descolar uma caroninha também!

Outras dicas

  • Não deixe de levar máscara e snorkel. Se não tem vale a pena comprar ou pegar emprestado, pois o aluguel não compensa pelos dias todos!
  • Além dos chinelos, não esqueça do tênis pra trilha. Esses são únicos sapatos que você vai precisar!
  • Leve dinheiro vivo. O único banco que tem na ilha é o Santander. Tem um caixa 24h no Aeroporto e no Tamar, um posto da Caixa Econômica no Mercadinho Noronhão, mas não dá pra confiar, os sistemas muitas vezes ficam fora do ar!
  • Sinal de telefone é pouco. Internet, só wi-fi em algumas pousadas e na Praça Flamboyant e é por satélite então, fraquíssimo, tenha paciência. O negócio é se desconectar mesmo.
  • Leve uma garrafa d’água de casa. Uma água na ilha pode custar até mesmo R$9, a dica é comprar garrafas de 1,5L de água no mercado por preços mais justos, deixar no frigobar da pousada e ir enchendo sua própria garrafinha.

Eu te garanto, você vai querer voltar muitas vezes!

Bom giro! :)

Posts relacionados

1 Comentário

Mergulhando em Noronha – Gira Mundo 30/10/2016 - 14:24

[…] Confira todas as nossas dicas sobre Fernando de Noronha no post Guia de dicas de Fernando de Noronha […]

Reply

Deixar um comentário

EnglishFrenchPortugueseSpanish