Guia de Roma: roteiro de 3 dias e todas as informações necessárias para a sua viagem

Roma é um daqueles lugares que você vai embora com vontade de ficar mais. A capital italiana é vibrante e mescla seus monumentos históricos com todos os elementos de uma grande cidade. Três dias nunca vão ser suficientes para conhecer tudo, mas dá para visitar os principais pontos turísticos e se encantar com a essência da cidade.

Dicas importantes

> Todas as atrações de Roma são lotadas, chegar cedo é sempre uma boa ideia.

> A melhor forma de conhecer a cidade é a pé. Coloque um sapato confortável e saia andando. Mas, se o pé cansar, não pense duas vezes e pare em algum lugar para recuperar as forças com um gelato. Não adianta nada fazer tudo corrido e não aproveitar direito o passeio. Se preciso, tire alguns lugares do roteiro, afinal, cada um tem o seu ritmo!

> Antes de decidir como encaixar os passeios, é melhor dar uma olhada na previsão do tempo. Se chover é melhor ir para o Vaticano, já que a maior parte do dia vai ser dentro do museu.

DIA 1

Fontes, praças e igrejas

Comece o dia pela incrível Piazza Navona. Sente-se em algum dos seus bares ou até na rua mesmo e observe os artistas, o vai-e-vem de turistas e moradores. Há três fontes na praça, a Fontana dei Quattro Fiumi, ao centro, a Fontana del Moro, ao sul, e Fontana di Nettuno, ao norte. A primeira foi feita por Bellini e as outras duas por Giacomo della Porta. Bem perto está o Campo di Fiori, um lugar muito visitado. Eu particularmente não gostei, achei muito turístico. Ao invés de encontrar flores, o que vi foi diversas barraquinhas com produtos made in china. Mas, como está do lado da Piazza, vale a pena passar para conhecer e matar a curiosidade.

DSC_0066

Seguindo caminho, ande até o Pantheon. O monumento foi construído em 27 A.C. e era um templo dedicado a todos os deuses do panteão romano, mas a partir do ano 609 D.C. foi transformado em uma igreja católica. O que impressiona é sua cúpula gigantesca e perfeitamente simétrica. Se você passar por lá  ao meio dia, aproveite para observar o sol iluminando a abertura circular no seu topo e tire muitas fotos. A visita é gratuita. Aproveite e visite o Templo Adriano, que está ao lado, a igreja S. Ignazio di Loyola e o Palazzo Montecitorio.

comcréditoDSC_0125
O Panteão por fora tem arquitetura romana e por dentro funciona como uma igreja católica

Atravesse a Via del Corso e vá até a Fontana di Trevi. Sem dúvidas a mais famosa, bonita e onde é possível encontrar a maior concentração de turistas. Não tem como fugir, fica lotado dia e noite. Não deixe de jogar a moeda e de voltar para ver a fonte iluminada quando escurecer. Fiquei um pouco decepcionada quando eu fui porque estava em obras! Agora tenho um grande motivo para voltar para Roma 😉

Siga caminho até chegar na Piazza di Spagna. As escadarias que levam até a Trinità del Monti dão um charme a mais no local. Suba e tenha uma vista incrível. Definitivamente, eu não estava com sorte para ver fontes, a La Barcaccia que fica bem na frente da escadaria também estava em obras com um enorme tapume!

Vá para a Via del Corso e caminhe até chegar na grandiosa Piazza del Popolo. A rua é um bom local para fazer compras, está repleta de excelentes lojas. A Piazza é enorme, possui três igrejas ao redor, um obelisco ao centro e a Porta Flamínia ao fundo. Aproveite e entre na Igreja Santa Maria del Popolo.

comcréditoDSC_0090

DIA 2

Roma Antiga

Dia de se perder na Roma Antiga e admirar as ruínas que te transportam para o passado. Nem pense em fazer esse passeio com pouco tempo, reserve muitas horas para ver tudo com calma. A minha dica, para quem não adquirir o Roma Pass, é comprar o ingresso no Fórum Romano, pois a fila é bem menor do que a do Coliseu e dá direito às duas atrações (12 euros/meia entrada 7,50).

Depois de comprar o ingresso, vá primeiro para o Coliseu e passe um bom tempo lá dentro. A arena te hipnotiza e é preciso ter paciência para tirar boas fotos, pois todo mundo quer registrar os momentos nesse lugar incrível.

comcréditoDSC_0416
Vista lateral do Coliseu. Suba as escadarias que ficam em cima da estação do metro para pegar esse ângulo.

Depois vá conhecer o Fórum Romano e o Palatino. Uma boa dica é alugar um áudio guia, pois muitas ruínas não tem nem identificação, nem explicações do que elas foram. Se perca no enorme sítio arqueológico sem hora para voltar, afinal, não é todo dia que se pisa no mesmo chão dos poderosos imperadores romanos.

comcréditoDSC_0535

Se ainda tiver fôlego, siga pela Via dei Fori Imperiali e observe o Foro di Augusto, Foro Traiano e Foro di Cesare. Continue o caminho até chegar no imponente Monumento Vittorio Emanuele II. Para fechar o dia com chave de ouro suba no elevador panorâmico do monumento para ter uma vista incrível de Roma (cerca de 7 euros).

comcréditoDSC_0111
Repare que na Itália inteira há praças, tuas e monumentos com o nome de Vittorio Emanuelle. As homenagens são tantas, porque ele foi o primeiro rei da Itália após a unificação

DIA 3

Vaticano e Trastevere

Compre o ingresso do Museu do Vaticano + Capela Sistina + Basílica de San Pietro (16 euros inteira/ 8 euros reduzida + 4 euros da taxa de compra)  na internet e se livre de uma fila g-i-g-a-n-t-e-s-c-a.

Saiba mais: Como visitar o Vaticano: um guia do menor país do mundo

De acordo com o horário da visita, dá pra encaixar os outros passeios. Vou contar um pouco da minha experiência. Como tinha hora marcada para entrar, aproveitamos para conhecer o Castel Sant’Angelo (10 euros) e a Ponte Sant’Angelo pela manhã. Um passeio imperdível e com uma vista incrível para a Basílica de San Pietro. O castelo foi construído no ano 135 pelo imperador Adriano e já foi um mausoléu, edifício militar, fortaleza, prisão e atualmente funciona como um museu.

comcréditoDSC_0025
O Castel Sant’Angelo também é conhecido como Mausoléu de Adriano e fica na beira do Rio Tibre. A ponte, que tem o mesmo nome, cruza o rio

Logo depois, partimos para a atração principal: o Vaticano. O passeio é bem longo, tem muita coisa para ver. Portanto, reserve um dia inteiro. Primeiro se entra pelo Museu, pois é preciso passar por dentro dele para chegar na Capela Sistina e na Basílica.

comcréditoDSC_0257
Vista da Basílica de San Pedro do lado de fora do museu, na Piazza San Pedro.

Saindo do passeio, estávamos famintos e seguimos para o bairro charmoso de Trastevere, que existe desde antes de Cristo. O bairro sempre foi artístico e um pouco afastado da parte principal de Roma, por conta disso criou uma cultura própria.  É possível encontrar diversos restaurantes gostosos e não muito caros, sem contar que é uma delícia dar uma volta nas ruas boêmias do bairro. Não deixe de ir! No final de semana fica ainda mais agitado à noite e com muita música de rua.

comcréditoDSC_0270

Mais lugares para visitar

Vila Borghese e Galleria Borghese, Catacumbas de Roma,  Igreja Santa Maria Maggiore, Igreja San Giovanni in Laterano, Igreja Santa Maria in Cosmedin e Bocca della Verità e Museu Nacional Capitólio.

Onde se hospedar

Eu me hospedei com a minha família no Hotel Relais dei Papi. É bem confortável, localização ótima, pertinho de Vaticano, em um bairro muito agradável e bem residencial.

Qualquer hotel que fique no centro da cidade é uma boa pedida, já que Roma não é muito grande. Boas opções para mochileiros são o Hostel Alessandro Palace & BarDreaming Rome Hostel. Quem quer conforto pode optar pelo Hotel Romano e quem procura luxoAmbasciatori Palace Hotel.

Onde comer

Comemos muito bem em Roma e em todos os lugares da Itália. Anote as dicas desses restaurantes para não cair em armadilhas de turista e prove a verdadeira cozinha tradicional sem pagar muito.

La Fraschetta

Peguei a indicação desse restaurante porque ele é famoso por ter o melhor nhoque de Roma, mas não conseguimos provar o prato famoso porque eles só servem nas quintas-feiras. Acabamos ficando lá e comemos uma massa sensacional, uma das melhores da viagem. Além disso, o preço é muito bom. Não deixe de provar o limonciello da casa e o suppli, um bolinho de arroz bem italiano (Via di San Francesco a Ripa, 134, Trastevere). Acesse o site.

IMG_3079
Não comi nhoque, mas essa massa estava sensacional!

Ai Tre Scalini

Um restaurante sensacional, onde eu comi a melhor lasanha da minha vida, de abobrinha com bacon (7 euros). A entrada também custou 7 euros e a sobremesa 5 euros. A Romina foi nossa garçonete e ela era um amor, falava até português. Aproveite para ir quando estiver passeando pelo Coliseu, é bem perto. Aliás, essa rua é cheia de restaurantes muito bons (Via Panisperna 251, próximo ao Coliseu). Acesse o site.

comcréditoIMG_3120
Lasanha de abobrinha com bacon MUITO gostosa!

La Carbonara

Prove o melhor carbonara de Roma em uma cozinha bem tradicional com a receita da nonna. O restaurante existe desde 1907 e não é só o famoso prato romano que faz sucesso, o cardápio inteiro é de dar água na boca. O ideal é fazer reserva antes, pois vive lotado e aos domingos ele fecha (Via Panisperna, 214, perto do Coliseu e na mesma rua do Ai Tres Scalini). Acesse o site.

Ristorante Carlo Menta

Um restaurante fundado no século XVI que é gigantesco, tem mais de 250 lugares. A comida é boa e muita barata, perfeita para quem está viajando com pouco dinheiro. Não foi uma das melhores comidas da viagem, mas vale a pena para provar a cozinha romana sem gastar uma fortuna (Via della Lungaretta, 101, Trastevere).

Il Ragno D’Oro

Famoso pelo carbonara e pela entrada “Antipasto alla Marco e Fabio”. Gostoso, mas era um pouco mais caro do que os outros retaurantes que nós fomos e não foi um dos melhores (Via Silla, 26, perto do Castel Sant’Angelo).  Para mais informações acesse o site.

Il Gianfornaio

Uma padaria deliciosa que ficava do lado do nosso hotel. As pizzas eram muito gostosas e lá tinha o Happy Hour (Via dei Gracchi, 00192, perto do Castel Sant’Angelo). Para mais informações acesse o site.

IMG_3003
As pizzas muito gostosas do Il Gianfornaio

Gelateria Fior di Luna

Um sorvete delicioso, foi o meu primeiro da viagem. Bom para tomar enquanto você dá uma volta pelo Trastevere (Via della Lungaretta, 96, Trastevere). Acesse o site.

comcréditoDSC_0302
Sorvete de chocolate com frutas vermelhas e chantilly.

Fique atento!

Divesas padarias ou salumerias em Roma fazem o chamado Happy Hour em que há um buffet de algumas comidas e petiscos por um preço camarada. Os que vimos custavam, mais ou menos, 10 euros e rolavam das 18h às 22h.

6 comentários Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s