Home Américas Tudo sobre o Vale Sagrado, um passeio imperdível saindo de Cusco

Tudo sobre o Vale Sagrado, um passeio imperdível saindo de Cusco

por Gabriela Mendes
Tudo sobre o Vale Sagrado, um passeio imperdível saindo de Cusco

Um passeio obrigatório saindo de Cusco é o Vale Sagrado. A região é formada por cidades onde os Incas habitaram e deixaram um patrimônio cultural impressionante. Acho importante conhecer antes de ir para Machu Picchu, dessa forma você pode compreender um pouco mais da história do antigo império e entrar no clima para chegar no sítio arqueológico mais famoso. Aqui você vai saber as formas de se fazer esse passeio, quais são os mais importantes e pegar umas dicas para planejar seu roteiro.

Em outro post, contei minha experiência no Vale Sagrado, nas cidades de Pisac e Ollantaytambo.

Afinal, o que é o Vale Sagrado?

O Vale Sagrado é uma região de várias cidades e vilarejos próximos a Cusco, onde os Incas habitaram e deixaram diversas ruínas. Os lugares são rodeados de montanhas e alguns são mais altos que Cusco (sim, mais de 3.400 metros acima do nível do mar!). Não deixe de se preparar para o soroche. As principais cidades são: Macchu PicchuPisacOllantaytamboMarasMorayChincheroTipón.
Não tenho tempo para visitar todas, em quais devo ir?
Sobre Machu Picchu nem preciso comentar, porque você já vai. Se você for fazer o passeio do Vale Sagrado e não tem tanto tempo, as imperdíveis são Pisac e Ollantaytambo. São as mais importes e maiores. Porém, fiquei com pena de não tem conhecido Maras e Moray. Se tivesse mais tempo eu teria incluído no roteiro. Chinchero e Tipón têm seu valor, mas não são tão interessantes.

Fonte: http://urubamba4u.blogspot.com.br/

Fonte: urubamba4u

Como fazer esse passeio?

Quanto custa? A maioria das ruínas faz parte do Boleto Turístico, inclusive o City-Tour e alguns museus de Cusco (preço normal: 130 soles, para estudante: 70 soles). Se você for a vários passeios e comprar separadamente não vale a pena, sai mais caro.

  • Existe três formas de conhecer as ruínas:

Por conta própria: essa foi a forma que nós escolhemos. Apesar de ser mais demorada, pudemos ficar livres e seguir o caminho no nosso ritmo. Só conseguimos visitar Pisac e Ollantaytambo. Percorremos tudo com transporte público local e foi uma experiência incrível. Mas esteja preparado para ficar com frio na barriga quando sua van/ônibus passar por penhascos na estrada 😛 Saiba mais aqui.
Contratar um taxi: vários taxistas na cidade fazem esse passeio por um preço fixo. Normalmente é mais caro, porque ele fica sendo um guia particular. Mas, antes de escolher essa opção, procure indicações no seu hostel para não cair em furada. É válido para conhecer as ruínas no seu ritmo de  uma forma mais confortável do que pegar transporte público.
Fechar um pacote com uma agência: essa opção é a mais utilizada pelos turistas e a mais prática. Porém, apesar de conhecer mais lugares você fica limitado ao ritmo do tour, que costuma ser bem corrido. Eu não gosto muito desse tipo de passeio, mas é bom para ter uma explicação de todas as ruínas e não é tão cansativo. A única agência que eu posso indicar foi a que nós compramos os bilhetes de Machu Picchu e fizemos o City-Tour. O nome é Eco-Tour e ela fica no Centro Histórico de Cusco. Existem diversas agências no centro que fazem esse mesmo passeio todo dia. Dependendo do tempo, você pode escolher os sítios arqueológicos que quer ir. Normalmente as visitas vão para os principais: Pisac, Ollantaytambo, Moray e Maras.

Todos os sítios arqueológicos possuem guias que ficam na porta para quem quer fazer a visita com uma explicação histórica. Pechinche sempre, porque os preços caem pela metade!

As cidades Incas

Machu Picchu
Provavalmente o principal destino da sua viagem. O sítio arqueológico fica lotado o ano todo e impressiona pela sua grandiosidade. Para chegar até lá, você precisa primeiro passar pela cidade de Aguas Calientes que fica aos pés da montanha. Saiba as formas de se chegar lá para todos os gostos, desde aventureiros até quem quer luxo e conforto. A entrada de Machu Picchu não está incluída no Boleto Turístico e não faz parte dos passeios do Vale Sagrado. Você precisa comprar separadamente e com antecedência, porque a disputa é grande! Dica: reserve um dia inteiro para Machu Picchu.

9

A vista clássica de Machu Picchu. A velha cidade Inca fica ainda mais impressionante quando está nublado

Pisac
Essa cidade bem pequena conserva, há milhares de anos, ruínas impressionantes. O sítio arqueológico de Pisac é bem maior do que Machu Picchu, porém suas ruínas não estão tão bem conservadas. Para quem gosta de natureza é o lugar certo. Para ter uma vista maravilhosa: suba de taxi e desça a pé pela velha Trilha Inca até a cidade. Até hoje os historiadores não sabem ao certo sobre a origem de Pisac. Alguns acreditam que era uma proteção para a entrada do Vale Sagrado. Outro lugar imperdível é o mercado que acontece todas as terças, quintas e domingos. Saiba mais sobre Pisac neste outro post!
2
Ollantaytambo
As ruínas de Ollantaytambo ficam dentro da cidade que leva o mesmo nome. Elas são menores do que Pisac, mas não menos impressionantes. Suba todas as escadarias para ter uma vista linda da cidade, que é minúscula! Lá você também encontra o Templo do Sol e pedras tão polidas que até hoje ainda não se descobriu qual foi a tecnologia usada. Além disso, a cidade tinha muita importância no Império Inca. Era uma potência militar e possuía um armazén na montanha de armamentos que era vigiado dia e noite. Saiba mais sobre Ollantaytambo neste outro post.
8Moray
As ruínas circulares hipnotizam os turistas curiosos. O sítio arqueológico é outro mistério deixado pelos Incas. Historiadores acreditam que era um anfiteatro, um centro de devoção ou apenas para a agricultura. Na cultura quechua, cada nível representa uma forma de adaptação para a colheita.

Foto: Pirwa Hostels Peru

Foto: Pirwa Hostels Peru

Salinas de Maras
Maras é uma pequena cidade que gira em torno de sua salineira. É uma paisagem incrível. Cada família possui uma “poça” e é responsável por extrair o sal. O interessante é que essas poças são hereditárias, não podem ser vendidas, doadas ou trocadas – elas só pertencem ao povo de Maras . A paisagem vista de longe parece surreal.

Foto: Forkingitup

Foto: Forkingitup

Chinchero
Um pequeno povoado que ainda guarda tradições milenares dos povos andinos e é famoso por suas ruínas. Outra atração é a feira artesanal que tem no local todo domingo. Até hoje é comum ver os pagamentos serem feitos a base de trocas na cidade. Além das ruínas, sua principal atração é a Igreja da Virgem da Natividade de Chinchero.

Foto: Cosituc

Foto: Cosituc

Tipón
Apesar de ser bem pertinho de Cusco, apenas uns 20km, poucas pessoas desviam a rota para visitar o local. Representa o maior e mais completo sistema hidráulico construído pelo Império Inca.

Foto: Cusco Dot

Foto: Cusco Dot

 Saiba mais sobre meu roteiro no Vale Sagrado: Pisac e Ollantaytambo
Saiba mais sobre Machu Picchu
Entenda o Boleto Turístico de Cusco

Posts relacionados

6 Comentários

Meu roteiro no Vale Sagrado: Pisac e Ollantaytambo | Ecdemomania 26/05/2014 - 16:53

[…] – SAIBA TUDO SOBRE O VALE SAGRADO, UM PASSEIO IMPERDÍVEL SAINDO DE CUSCO […]

Reply
O melhor de Cusco: roteiro de passeios, restaurantes e hotéis | Ecdemomania 04/06/2014 - 12:29

[…] museus e feiras de artesanato, vale reservar um tempo para fazer o City-Tour e visitar o Vale Sagrado. Eu fiquei sete dias e não me arrependo (ficaria até […]

Reply
O City-Tour de Cusco, uma introdução às ruínas incas | Ecdemomania 04/06/2014 - 18:01

[…] faça esse passeio antes de ir para o Vale Sagrado e para Machu Picchu para se impressionar mais. Se você for depois, vai comparar com as ruínas […]

Reply
Entenda o Boleto Turístico de Cusco | Ecdemomania 05/06/2014 - 14:59

[…] de ingresso para até 16 atrações na cidade e nos arredores, como nas ruínas do City-tour e no Vale Sagrado. Você pode até comprar cada atração separadamente, mas sai muito mais caro e, em muitos […]

Reply
O melhor de Cusco: roteiro de passeios, restaurantes e hotéis – Gira Mundo 31/03/2017 - 11:29

[…] museus e feiras de artesanato, vale reservar um tempo para fazer o City-Tour e visitar o Vale Sagrado. Eu fiquei sete dias e não me arrependo (ficaria até […]

Reply
Meu roteiro no Vale Sagrado: Pisac e Ollantaytambo – Gira Mundo 31/03/2017 - 12:06

[…] Para saber tudo sobre o Vale Sagrado, vá no meu outro post que fala dos outros sítios arqueológic… […]

Reply

Deixar um comentário

EnglishFrenchPortugueseSpanish