Home Américas Meu roteiro no Vale Sagrado: Pisac e Ollantaytambo

Meu roteiro no Vale Sagrado: Pisac e Ollantaytambo

por Gabriela Mendes
Meu roteiro no Vale Sagrado: Pisac e Ollantaytambo

Se você está em Cusco, não deixe de ir ao Vale Sagrado antes de visitar Machu Picchu. É simplesmente um dos passeios mais importantes e maravilhosos do Peru. Cada pedacinho do Império Inca reserva um mistério e uma beleza que só da pra saber vendo e conhecendo sua história. Sem contar que as ruínas estão no meio de uma natureza incrível, é impossível não se sentir em paz. Nesse post vou contar um pouco da minha experiência e dar outras dicas para quem quer fazer um roteiro diferente do meu.

O que é o Vale Sagrado?

O Vale Sagrado é uma região de várias cidades e vilarejos próximos a Cusco, onde os Incas habitaram e deixaram diversas ruínas. Os lugares são rodeados de montanhas e alguns são mais altos que Cusco (sim, mais de 3.400 metros acima do nível do mar!). Não deixe de se preparar para o soroche. As principais cidades são:  Machu PicchuPisac, Ollantaytambo, Maras, Moray, Chinchero, Tipón, Urubamba, Andahuaylillas e Calca.

Para saber tudo sobre o Vale Sagrado, vá no meu outro post que fala dos outros sítios arqueológicos.

Meu roteiro – Pisac e Ollantaytambo

Infelizmente não tive tempo de conhecer o Vale Sagrado todo. Decidi ir de forma independente para aproveitar melhor cada lugar e poder fazer tudo com o meu próprio ritmo. Não me arrependo e foi uma experiência única. Conheci apenas as ruínas de Pisac e Ollantaytambo, as mais importantes.

Pisac

Como fui: Saí cedo do hostel em Cusco e peguei um taxi (5 soles) até a  Calle Pavitos e de lá peguei uma van (4 soles) que nos deixou no centro de Pisac. A viagem durou, em média, duas horas.

O QUE CONHECER

Mercado de Pisac

Se prepare para ficar louco com tantas cores, tecidos e souvenires. Um bom lugar para fazer comprinhas, pois os preços são mais baixos do que em Cusco. Mas pechinche! Eles costumam baixar muito o preço e isso é uma dica que vale para toda sua viagem no Peru ou na Bolívia. Além disso, cuidado para não comprar produtos made in China. Uma dica é reparar se várias barraquinhas tem a mesma mercadoria. Fique atento porque o mercado só abre às terças, quintas e domingos.

IMG_5025

Ruínas de Pisac

Um dos pontos altos da viagem e, para mim, não fica muito atrás de Machu Picchu. Depois de visitar a feirinha e almoçar, pegamos um táxi para subir até o topo das ruínas (25 soles). Lá tem vários guias locais que você pode contratar se preferir. Como nós já tínhamos feito muitas visitas guiadas, decidimos explorar o local por conta própria e descer todo o caminho a pé até a cidade pela antiga trilha Inca (5km).

1. Peru e Bolívia - fev (313)

É muito alto, mas foi o que proporcionou uma das vistas mais incríveis que eu já vi. Se você for fazer o mesmo que eu, não deixe de pegar um mapa das ruínas na barraquinha de turismo do terminal de táxi. Não da para explicar a sensação de estar naquele lugar com palavras. Talvez com fotos você possa sentir um pouquinho. Não deixe de ver o cemitério que está na montanha à direita. Os buracos são catacumbas que foram usadas no império Inca. Infelizmente os espanhóis saquearam a maioria, pois estavam cheias de metais preciosos.

1. Peru e Bolívia - fev (356)

Desci a montanha toda até a cidade e dei de cara com a feirinha de novo! Mas, uma dica: eu recomendo muito esse caminho, mas só faça se você estiver com disposição. Apesar de ser uma descida, tem pedaços sem cercado e cansa bastante. No total a visita durou cerca de quatro horas. Fiquei impressionada com os moradores locais (e alguns turistas) que estavam fazendo o caminho contrário, subindo! Só com muito fôlego e preparo físico 😛

Quando terminei o passeio, segui viagem para Ollantaytambo. Já era final da tarde, umas 17hrs.

+ LUGARES PARA VER EM PISAC
A cidade é bem pequena e não tem outros pontos turísticos para ver além do mercado e das ruínas. Porém, se você quer ter uma experiência mística, lá é o local ideal. A cidade é o destino de quem quer conhecer rituais milenares, além de festas psicodélicas e retiros espirituais. Também víamos muitos cartazes com rituais dos chás de San Pedro e Ayahuasca. Se você curte essa vibe, lá é o lugar certo.

ONDE COMER

Antes de viajar, selecionei alguns restaurantes que ficam na praça central de Pisac. Mas, quando cheguei na cidade e andei pela rua Calle Pardo, em direção ao Mercado de Artesanato, descobri um lugar especial para almoçar…

Intihuatana Lounge: o menu vegetariano com preços bacanas foi a primeira coisa que me chamou atenção. Quando entrei foi uma surpresa melhor ainda: um lugar super zen, com um jardim, todo decorado e uma italiana fazendo suco verde fresquinho! Perguntei o cardápio e deu água na boca. Foi lá que eu comi o melhor hambúrguer de quinoa. Sensacional.

+ LUGARES PARA COMER EM PISAC
Mullu Cafe: cozinha asiática, peruana e contemporânea (Plaza Principal, 352).
Ulrike’s Cafe: mais uma opção de comida vegetariana.(Calle Pardo 613).
Blue Llama: como a maioria dos restaurantes em Pisac, tem uma atmosfera agradável. Bom para quem quer comida peruana (Plaza Principal).
+ LUGARES PARA FICAR EM PISAC
Para mochileiros: Hostal Willcamayu
Para quem quer conforto, mas sem gastar muitoLa Casa Del Conde
Para quem gosta de luxo: a cidade não possui hotéis luxuosos.
Dica: Ficar na casa de moradores da região pode ser uma opção em Pisac!

1. Peru e Bolívia - fev (416)

Ollantaytambo

Como fui: saímos de Pisac e pegamos um ônibus até Calca. De lá entramos em uma van até Urubamba e em seguida outra até Ollantaytambo. A viagem durou cerca de 2 horas. Existe um ônibus que faz o trajeto direto de Pisac>Urubamba, mas ele estava demorando muito pra passar. Foi uma experiência interessante porque nós éramos os únicos turistas. Além disso, vimos paisagens incríveis do interior da região de Cusco.

1. Peru e Bolívia - fev (478)

Onde ficamos: Hostal Kiswar. Uma pousada familiar bem aconchegante.

ONDE FOMOS

Ruínas de Ollantaytambo

O sítio arqueológico fica dentro da cidade. Em cinco minutos de caminhada você já está lá. As ruínas são lindas, impressionantes. Suba até o topo para ter uma vista da cidade. Também optamos por fazer esse passeio sem guia, mas o local é bem menor que Pisac e, em uma hora e meia você consegue ver tudo com muita calma. Na entrada tem um pequeno mercado de artesanato. Quando estiver nas ruínas, olhe para o seu lado direito e observe a “cabeça do Inca” na montanha. É igualzinho!

1. Peru e Bolívia - fev (494)

Consegue ver a cabeça do Inca?

Saímos das ruínas e fomos pegar o trem para Aguas Calientes. O dia seguinte seria especial: Machu Picchu!

+ LUGARES PARA VER EM OLLANTAYTAMBO

  • Na montanha do lado oposto das ruínas principais tem mais uma parte do sítio arqueológico. É um lugar que poucos turistas conseguem ir pela falta de tempo, mas que vale a pena.

ONDE COMEMOS

Nós comemos tão mal em Ollantaytambo que eu esqueci de anotar o nome dos restaurantes. Espero que você tenha mais sorte que a gente lá.

Dica: normalmente as agências de viagem param primeiro em Pisac (pela manhã) e depois em Ollantaytambo (na parte da tarde). Para quem está fazendo o passeio por conta própria o melhor é seguir o fluxo contrário. Outra dica é que esses dois passeio estão inclusos no Boleto Turístico.

+ LUGARES PARA COMER EM OLLANTAYTAMBO
La Esquina Cafe Bakery: um lugar bom para fazer um lanche ou tomar café da manhã. Infelizmente quando nós estávamos na cidade o lugar estava fechado para obras (Plaza de Armas).
Il Piccolo Forno: um restaurante aconchegante para quem quer comer uma boa massa (Calle del medio, 120).
El Albergue Restaurant: para quem quer comer bem e gastar um pouco mais. O restaurante fica na estação de trem de Ollantaytambo e tem ótimas críticas.
+ LUGARES PARA FICAR EM OLLANTAYTAMBO
Para mochileiros: Ollantaytampu Hostel Patacalle
Para quem quer conforto, mas sem gastar muito: Apu Lodge
Para quem gosta de luxo: a cidade não possui hotéis de luxo, mas o El Albergue Ollantaytambo é um dos melhores.
Saiba tudo sobre meu roteiro pelo Peru e Bolívia aqui

Posts relacionados

6 Comentários

Tudo sobre o Vale Sagrado, um passeio imperdível saindo de Cusco | Ecdemomania 26/05/2014 - 16:49

[…] Em outro post, contei minha experiência no Vale Sagrado, nas cidades de Pisac e Ollantaytambo. […]

Reply
O melhor de Cusco: roteiro de passeios, restaurantes e hotéis | Ecdemomania 26/05/2014 - 18:41

[…] >> Continuação: Vale Sagrado: Pisac e Ollantaytambo (11/02 a 12/02) […]

Reply
Aguas Calientes, a porta de entrada para Machu Picchu | Ecdemomania 28/05/2014 - 21:55

[…] <Pisac e Ollantaytambo (11/02 a 12/02) […]

Reply
Entenda o Boleto Turístico de Cusco | Ecdemomania 05/06/2014 - 14:59

[…] 16 atrações: Moray, Ollantaytambo, Pisac, Chinchero, Tambomachay, Pukapukara, Qenqo, Saqsayhuamán, Tipón, Pikillacta, Museo de Sitio del […]

Reply
Cinco formas de se ir para Aguas Calientes, o ‘quintal’ da famosa Machu Picchu | Ecdemomania 05/06/2014 - 15:51

[…] a opção mais econômica. Se você sair de Cusco os preços são bem mais elevados. Nós fizemos o Vale Sagrado por conta própria e já estávamos lá, mas se você sair de Cusco, a melhor opção é pegar uma […]

Reply
Bate-e-volta nas ruínas de Tiwanaku, em La Paz – Gira Mundo 01/08/2017 - 12:43

[…] Meu roteiro no Vale Sagrado: Pisac e Ollantaytambo […]

Reply

Deixar um comentário

pt_BRPT_BR
en_USEN pt_BRPT_BR