Home Américas Guia de Machu Picchu, a cidade perdida do Império Inca

Guia de Machu Picchu, a cidade perdida do Império Inca

por Gabriela Mendes
Guia de Machu Picchu, a cidade perdida do Império Inca

Tem lugares que você pode ler vários artigos, conversar com várias pessoas e ver mil fotos que não vão ser suficientes para expressar a sensação de estar lá fisicamente. E é exatamente o que acontece em Machu Picchu. Sim, a antiga cidade Inca é o que todos falam e mais um pouco. É impossível descrever a experiência de estar lá, porque as imagens e textos não te fazem sentir a vibração daquele lugar. Não é a toa que é uma das sete maravilhas do mundo! Descubra a minha experiência na cidade perdida e confira todas as dicas pra preparar sua viagem neste post.

1. Peru e Bolívia - fev (534)

Um pouco de história

Machu Picchu também é conhecida como a “cidade perdida” devido à sua localização de difícil acesso. Apesar dos moradores locais já saberem da existência, foi só em 1911 que ela foi divulgada para o mundo pelo arqueólogo americano Hiram Bingham. A cidade foi construída no século XV pelo Império Inca, que se estendeu do Chile até o Equador antes de ser destruído pelos espanhóis no século seguinte. Há diversos mistérios sobre Machu Picchu, um deles é como os Incas carregaram tantas pedras para construí-la. Além disso, até hoje não se descobriu a função do local. Há teorias de que era uma espécie de “retiro de verão” para o imperador Inca, por estar mais baixa que Cusco e fazer mais calor, outros acreditam que era um local secreto para cultos religiosos ou uma universidade de astronomia e técnicas agrícolas. Além disso, pode ter sido um refúgio para as Virgens do Sol se protegerem dos espanhóis. Visite e tire suas próprias conclusões 😉

1. Peru e Bolívia - fev (570)

Como comprar o ingresso

três formas de comprar o ingresso: fechando um pacote com uma agência em Cusco (mais prática e não muito cara), no Brasil (mais cara e mais prática) ou comprando pelo site de Machu Picchu (mais barata e complicada).

Fechar um pacote com uma agência em Cusco: se você escolher essa opção, normalmente vem incluído: trem + ingresso + guia + ônibus + hotel. Porém, você pode ajustar de acordo com as suas necessidades. Nós não quisemos incluir o hotel em Aguas Calientes, por exemplo (fechamos um por conta própria). Custou 190 dólares por pessoa.

Quando estava planejando a viagem, muitas pessoas me falaram que eu deveria comprar o ingresso aqui no Brasil com muita antecedência. Como nós fomos em baixa temporada (em fevereiro) não achei necessário. Eu sempre consultava o site de Machu Picchu para ver quantos ingressos ainda restavam. É só entrar no site, clicar em “consulta” e colocar a data que você quer. Se você preferir fechar o pacote antes de viajar, recomendo a Eco-Tour, a agência que nós contratamos lá.

Se você quiser fechar o pacote com uma agência no Brasil prepare-se para pagar por um preço bem mais salgado.

– Comprar no site oficial de Machu Picchu: para os estudantes que possuem a carteira internacional essa opção não é válida, porque só dá para comprar a entrada inteira. Mas, para os outros, essa é a forma mais barata e, de acordo com comentários que eu li, a mais trabalhosa. Apesar de parecer simples, o site costuma dar muito problema e só aceita cartões Verified By Visa (você precisa consultar seu cartão se você tem essa certificação. Caso contrário, é só pedir para acioná-la). Toda essa confusão é para evitar fraudes nas compras. Portanto, paciência, porque o processo pode ser bem lento!

Machu Picchu5

Como ir

duas formas de chegar a Machu Picchu: fazendo a trilha Inca ou passando por Aguas Calientes, que é uma pequena cidade que fica aos pés do sítio arqueológico e próxima a Cusco.

Neste post dou dicas de cinco formas de se chegar na cidade.

Quem decide ir por Aguas Calientes, precisa comprar um ticket do onibus que leva até o topo da montanha de Machu Picchu. Quando se fecha um pacote com uma agência, o ônibus de subida normalmente está incluído (sempre confirme se o de descida também está). usta 18 dólares ida e volta e demora uns 20 minutos de ônibus.

Porém, se você for por conta própria dá para comprar o ticket na hora (o guichê fica bem em frente ao ponto de saída) ou, se você estiver com muito fôlego, suba a pé. Para quem vai a pé um aviso: é muuito alto e longe! Prepare seu fôlego.

Vale a pena dormir em Aguas Calientes?

Mesmo que você não tenha muito tempo na viagem, eu recomendo dormir em Aguas Calientes, principalmente se você for fazer as trilhas. Fazer um bate-volta pode ser muito cansativo e talvez você não aproveite tanto o passeio. Machu Picchu é um lugar para passar um dia inteiro e o legal é ir sem hora contada. Vai por mim, você vai se envolver no meio das ruínas e nem vai perceber o tempo passar.

Para saber mais sobre Aguas Calientes, clique aqui

1. Peru e Bolívia - fev (519)

Eu e a Lhama <3

Vale a pena fazer as trilhas?

Você pode fazer duas trilhas em Machu Picchu: Wayna Picchu e Montanha de Machu Picchu. Ambas exigem muito preparo físico e disposição. Apesar do sítio arqueológico ser mais baixo do que Cusco, não se esqueça que você está a mais de dois mil metros de altura. Agora, se vale a pena? Com certeza. Vou explicar melhor como funciona cada uma.

1. Peru e Bolívia - fev (557)

Machu Picchu lá embaixo depois de algumas horas de trilha

Montanha de Machu Picchu

Como fomos na época de chuvas, optamos por fazer a trilha da Montanha porque é mais fácil de percorrer. Porém, é bem mais alto do que Wayna Picchu. Você sobre 629 metros e chega a 3082m acima do nível do mar. A vista da trilha é incrível em todas as partes. Parece que Machu Picchu é muito pequeno lá de cima e estava muito nublado. Ficamos – literalmente – nas nuvens, ou em cima delas. Uma experiência que todo mundo deveria viver uma vez na vida.

Wayna Picchu

Essa é a trilha mais famosa e a mais aventureira. Por conta disso que nós não fomos, porque quando chove muito a trilha fecha ou então fica aberta, mas muito perigosa. É preciso comprar o ingresso com antecedência, pois o limite é de 400 pessoas por dia, divididas em dois horários (7-8h e 10-11h da manhã). O ingresso custa cerca de 24 soles a mais.

Outras informações importantes

É muito importante que você contrate um guia para entender a história do lugar. O passeio não é o mesmo se você não conhece o que aconteceu ali há milhares de anos. Mas, antes ou depois do passeio guiado, se permita caminhar nas ruínas, explorando o local no seu ritmo. Eu até tirei um cochilo no gramado!

Fiquei tão envolvida com Machu Picchu que passei quase nove horas por lá. Portanto, se tiver tempo, considere a possibilidade de visitar o parque por dois dias.

1. Peru e Bolívia - fev (567)

Dicas para quem vai

– Não se esqueça de levar alguma coisa para comer e água. Tem uma lanchonete do lado de fora do parque, mas as coisas são extremamente caras.

– O sol em Machu Picchu é bem forte, mas quando ele fica mais fraco esfria. Leve roupas quentinhas na mochila e protetor solar.

– Vá com um sapato muito confortável. Mesmo que você não faça nenhuma trilha, você vai andar muito no parque.

– Leve seu cartão de memória da câmera com muito espaço. Da vontade de fotografar tudo!

– Tudo em Machu Picchu é caro. Até o banheiro tem que pagar a cada vez que se usa. Leve um dinheiro extra para qualquer emergência.

– Carimbe seu passaporte na entrada! Fiquei tão encantada que esqueci 🙁

1. Peru e Bolívia - fev (525)

Saiba como foi meu roteiro de 24 dias no Peru e na Bolívia

Posts relacionados

22 Comentários

Tudo sobre o Vale Sagrado, um passeio imperdível saindo de Cusco | Ecdemomania 26/05/2014 - 18:38

[…] e deixaram um patrimônio cultural impressionante. Acho importante fazer conhecer antes de ir para Machu Picchu, dessa forma você pode compreender um pouco mais da história do antigo império e entrar no clima […]

Reply
Meu roteiro no Vale Sagrado: Pisac e Ollantaytambo | Ecdemomania 26/05/2014 - 18:40

[…] acima do nível do mar!). Não deixe de se preparar para o soroche. As principais cidades são:  Machu Picchu, Pisac, Ollantaytambo, Maras, Moray, Chinchero, Tipón, Urubamba, Andahuaylillas e […]

Reply
Aguas Calientes, a porta de entrada para Machu Picchu | Ecdemomania 28/05/2014 - 21:55

[…] chegar à famosa cidade perdida de Machu Picchu é preciso passar por um pequeno povoado antes, Aguas Calientes. De qualquer forma (trem, van ou […]

Reply
O melhor de Cusco: roteiro de passeios, restaurantes e hotéis | Ecdemomania 04/06/2014 - 12:29

[…] Fomos para o Vale Sagrado e Machu Picchu e depois voltamos para Cusco para ficar mais duas noites, sendo que passamos o dia 13 inteiro em […]

Reply
O City-Tour de Cusco, uma introdução às ruínas incas | Ecdemomania 04/06/2014 - 18:01

[…] faça esse passeio antes de ir para o Vale Sagrado e para Machu Picchu para se impressionar mais. Se você for depois, vai comparar com as ruínas maiores e não vai […]

Reply
Entenda o Boleto Turístico de Cusco | Ecdemomania 05/06/2014 - 14:59

[…] Dica: Para obeter desconto de estudante é preciso ter a Carteira Internacional de Estudante ISIC. Ela custa 40 reais e foi muito útil, ganhamos desconto até na entrada de Machu Picchu. […]

Reply
Cinco formas de se ir para Aguas Calientes, o ‘quintal’ da famosa Machu Picchu | Ecdemomania 05/06/2014 - 15:51

[…] Machu Picchu é a principal referência turística do Peru e, para visitar o local, antes é preciso ir para Aguas Calientes, uma pequena cidade próxima a Cusco. Há cinco opções de chegar lá, para todos os gostos: de trem, de van, pela Trilha Inca, pela Trilha Salkantay ou de bike pela Inca Jungle. […]

Reply
isabela carral 05/06/2014 - 18:30

flor, tudo bom? eu sou amiga da carol e vou fazer essa mesma viagem, mas quando fui olhar o pacote por essa empresa que você foi estava bem mais caro do que 190 dólares .. quase 300 .. será por causa da alta temporada?
beijos!

Reply
Gabriela Mendes 05/06/2014 - 18:37

Oii, tudo ótimo! Caramba, que absurdo!! É capaz que na alta temporada eles cobrem mais caro, mas 300 é demais. A entrada de Machu Picchu é o mesmo preço o ano todo e o trem também não aumenta tanto. Você pediu um pacote com hotel em Aguas Calientes? Pode ser que fique mais caro por conta disso. Mas, se eu fosse você, responderia que está um absurdo e que vc conhece uma pessoa que fechou o mesmo pacote com eles por 190. Outra opção também é acompanhar o número de ingressos no site oficial de Machu Picchu. Eu fiz isso e comprei quando eu cheguei em Cusco. As vezes, por a gente ter fechado o pacote lá, eles tenham cobrado mais barato. Peruano gosta de uma pechicha como eu nunca vi hahaha

Reply
Leila Rigatos 05/06/2014 - 18:49

Adorei as dicas, Gabriela, e já favoritei aqui para a minha próxima viagem. Machu Picchu deve ser incrível mesmo!

Reply
Gabriela Mendes 05/06/2014 - 22:22

Que bom que você gostou Leila 🙂 vou tentar atualizar sempre com mais dicas! O Peru inteiro é maravilhoso, vale muito a pena conhecer.

Reply
A charmosa cidade de Igatu, a Machu Picchu baiana | Ecdemomania 04/11/2015 - 10:54

[…] Criada no auge do Ciclo do Diamante, no início do século 19, a cidade de pedra de Igatu, antes chamada de Xique-Xique de Igatu, representa um dos destinos mais charmosos da Chapada Diamantina. Os turistas têm a impressão que estão dentro de um cenário de cinema quando vão explorando as construções históricas, as casas coloridas e as ruas tranquilas. O apelido de Machu Picchu baiana se dá por suas estruturas serem de pedra, assim como no sítio arqueológico peruano. […]

Reply
freddy - viagens machupicchu 21/09/2016 - 19:25

Olá gente!
Primeiramente parabenizo pelo trabalho que fiz em ajudar aos brasileiros que desejem conhecer Machu Picchu, quem escreve é um amante da cultura brasileira e graças a deus já teve a sorte de morar no Brasil por um bom tempo, agora voltei ao Peru – Cusco para mostrar a todos os brasileiros que desejem conhecer a terra dos incas.
Se alguém deseja algumas dicas e recomendações pra a sua viagem, será tudo um prazer ajuda-los em realizar o sonho de conhecer Machu Picchu Cusco, Lima, Lago titicaca, Arequipa, Nazca, Paracas, Puno, Trujillo e outros destinos que ainda não foram explorados pelo brasileiros.
http://machupicchupacotes.com.br/

Reply
Gabriela Mendes 21/09/2016 - 19:36

Legal Freddy! O Peru é muito lindo mesmo, fiquei apaixonada. Valeu pela dica!

Reply
A charmosa cidade de Igatu, a Machu Picchu baiana – Gira Mundo 16/11/2016 - 22:12

[…] Criada no auge do Ciclo do Diamante, no início do século 19, a cidade de pedra de Igatu, antes chamada de Xique-Xique de Igatu, representa um dos destinos mais charmosos da Chapada Diamantina. Os turistas têm a impressão que estão dentro de um cenário de cinema quando vão explorando as construções históricas, as casas coloridas e as ruas tranquilas. O apelido de Machu Picchu baiana se dá por suas estruturas serem de pedra, assim como no sítio arqueológico peruano. […]

Reply
Explorando São Thomé das Letras, o destino mais místico de Minas Gerais – Gira Mundo 20/12/2016 - 16:09

[…] Há inúmeras crenças na região, inclusive a de que o local possui uma passagem secreta para Machu Picchu, na Gruta do Carimbado. Além disso, alguns afirmam que o destino recebe visitas frequentes de […]

Reply
O melhor de Cusco: roteiro de passeios, restaurantes e hotéis – Gira Mundo 31/03/2017 - 11:29

[…] suas ruas de pedra, ladeiras e construções espanholas. Ir pra lá só como ponto de partida para Machu Picchu é um grande erro, pois a cidade merece no mínimo dois dias só pra ela. Além de conhecer o […]

Reply
Meu roteiro no Vale Sagrado: Pisac e Ollantaytambo – Gira Mundo 09/04/2017 - 22:10

[…] Saímos das ruínas e fomos pegar o trem para Aguas Calientes. O dia seguinte seria especial: Machu Picchu! […]

Reply
Aguas Calientes, a porta de entrada para Machu Picchu – Gira Mundo 09/04/2017 - 22:58

[…] Veja nosso guia de Machu Picchu aqui […]

Reply
Bate-e-volta nas ruínas de Tiwanaku, em La Paz – Gira Mundo 01/08/2017 - 12:43

[…] Guia de Machu Picchu, a cidade perdida do Império Inca […]

Reply
Marilia Wally 05/02/2018 - 16:12

Oie Gabriela, adorei os posts sobre o Peru! Estou indo pra lá e programando meu roteiro 🙂
uma duvida que fiquei a trilha que tu fizeste Montanha de Machu Picchu também precisa pagar ou só aquela outra?
obrigada!

Reply
Gabriela Mendes 05/02/2018 - 17:45

Oi Marilia, tudo bem? Que bom que você gostou dos posts 🙂 O Peru tem uma energia incrível, você vai amar!
A montanha é paga sim, você compra um ticket Montanha + Machu Picchu por cerca de 142 soles, enquanto o ticket só de Machu Picchu custa uns 130 soles e o de Wayna Picchu cerca de 150 soles. Nõa é muita diferença, pensando que a moeda do Peru tem um valor parecido com a nossa. Mas é preciso comprar um ticket específico pra trilha.
Espero ter respondido sua dúvida. Qualquer coisa é só falar.
Beijos, Gabi.

Reply

Deixar um comentário

pt_BRPT_BR
en_USEN pt_BRPT_BR