Home Américas Cinco formas de ir para Aguas Calientes, o vilarejo que fica aos pés de Machu Picchu

Cinco formas de ir para Aguas Calientes, o vilarejo que fica aos pés de Machu Picchu

por Gabriela Mendes
Machu-Picchu-Peru-América-do-Sul

Machu Picchu é a principal referência turística do Peru e, para visitar o local, é preciso passar por Aguas Calientes, uma pequena cidade próxima a Cusco. Há cinco opções de chegar até lá, para todos os gostos: de trem, de van, pela Trilha Inca, pela Trilha Salkantay ou de bike pela Inca Jungle.

Trem

A opção mais cara, mas, para quem quer uma viagem tranquila, é de trem. Existem duas empresas que fazem o trajeto, a Peru Rail (que tem a opção de trens super luxuosos) e a Inca Rail (faz somente o trajeto Ollantaytambo-Aguas Calientes). Você pode comprar o ticket na internet ou por uma das inúmeras agências de viagem que ficam no centro de Cusco. Nós fomos com o Inca Rail e achamos ótimo! Existem três estações para pegar o trem e de acordo com o local e o horário que você deseja os preços mudam:

Ollantaytambo (U$ 100,00)

Normalmente é a opção mais econômica. Se você sair de Cusco os preços são bem mais elevados. Nós fizemos o Vale Sagrado por conta própria e já estávamos lá, mas se você sair de Cusco, a melhor opção é pegar uma van. A viagem dura em média duas horas. Quando você voltar, na saída da estação de trem existem muitas pessoas oferecendo vans para voltar para Cusco. Se você tem pouco tempo, a dica é fazer no mesmo dia as ruínas de Ollantaytambo e pegar o trem no fim da tarde. O sítio arqueológico é de fácil acesso porque está dentro da cidade. Em menos de cinco minutos de caminhada você está lá.

Poroy (U$ 130,00)

É a opção mais prática e mais cara. Está a vinte minutos de táxi do centro de Cusco.

Urubamba (U$ 120,00)

É uma pequena cidade perto de Ollantaytambo, mas a sua estação é menos utilizada por não estar no roteiro turístico.

Dica: Se você vai de trem, compre com antecedência! Essa é a forma mais utilizada pelos turistas e por conta disso é muito concorrida. Se você for em baixa temporada, da para chegar em Cusco e comprar. Mas, mesmo assim, aconselho que você reserve pelo menos quatro dias antes.

Van

Ir de van é a opção mais barata, cerca de U$ 10,00, mas é para quem gosta de muita adrenalina e não se importa em passar por vários perrengues. Ela vai de Cusco até a hidrelétrica de Aguas Calientes. Já tinha lido sobre isso antes de ir e confirmei com duas brasileiras que eu conheci no Peru que decidiram ir dessa forma – e se arrependeram. É um caminho completamente sem estrutura com direito a ponte de madeira quase caindo, passar dentro de uma cachoeira (dentro da van), quase bater em um caminhão e cair no precipício por conta da estrada estreita. Outro ponto ruim é que na época de chuvas ocorrem vários desabamentos e muitas vezes quem vai de van tem que andar aproximadamente três horas para chegar na cidade. Com certeza é uma opção bem mais barata, mas vale colocar na balança se realmente compensa.

Trilha Inca

Com certeza essa é a forma mais incrível e desafiadora de chegar a Machu Picchu. Se prepare para ver as paisagens mais lindas e as ruínas mais incríveis. A famosa Trilha Inca corresponde a um pedaço dos caminhos dos quéchuas no Império Inca. O caminho total vai da Argentina até o Equador. Mas calma, você não vai andar isso tudo! A trilha de que todos falam é um caminho alternativo que liga Cusco a Machu Picchu e dura quatro dias – só um pedacinho do caminho que os antepassados usavam para ligar o império.

O preço varia muito de acordo com a agência que você vai contratar, mas a média é de U$ 300,00. Normalmente, está incluído refeições, barraca, guia, entrada para Machu Picchu, transporte de Cusco até o início da trilha, trem de volta para Cusco, barraca e saco de dormir. A maioria delas também oferece um serviço de carregadores de bagagem, que é pago a parte.

Dica: É aconselhável que se tenha preparo físico porque a altitude deixa tudo mais difícil. Só de subir três degraus você já fica sem ar – sem exagero. Outra dica é ficar em Cusco antes para se acostumar com a altitude e fazer uma reserva antecipada para a Trilha, que é muito concorrida. Não é permitido fazer o caminho sozinho e só podem passar pelo local 500 pessoas por dia. No site oficial de Machu Picchu você encontra uma lista de agências credenciadas.

Quando ir

A melhor época para fazer a trilha é no inverno, entre maio a agosto, pois é a estação mais seca. Nos meses de janeiro e fevereiro normalmente a trilha é fechada por conta das chuvas. Se você vai nessa época, vale a pena conferir antes.

O que levar

– uma mochila leve, só com o necessário
– uma boa capa de chuva
– um cajado
– pastilhas de soroche para o mal de altitude
– barraca e saco de dormir (normalmente já está incluso no pacote da agência de viagem)
– um purificador de água

Trilha Salkantay

Uma opção menos famosa, mas não menos impressionante. A trilha dura em média cinco dias e também parte de Cusco. Se você decidir ir dessa maneira, não precisa se preocupar em fazer uma reserva antecipada. Como é menos famosa, não há tanta procura como a Trilha Inca. As paisagens são belíssimas nessa que é considerada uma das 25 trilhas mais lindas do mundo.

O preço normalmente é mais barata do que a Trilha Inca, custando em média U$ 250,00. Mas, como falei acima, tudo depende da agência que você contratar. Não deixe de conferir as agências credenciadas no site oficial de Machu Picchu.

Inka Jungle

Essa alternativa é para quem gosta de bike. A Inka Jungle dura em média quatro dias, mas você pode escolher outras opções com a agência. Não é preciso reservar com antecedência e é fácil de achar esse pacote no centro de Cusco. As pedaladas duram em média três a quatro horas por dia, com um grupo de mais ou menos 15 pessoas. É preciso ter disposição e é aconselhável que você já esteja um pouco acostumado com a altitude.

Na maioria dos casos, o valor de cerca de U$ 250,00 inclui hotel, bicicleta, transporte de Cusco até o início da trilha, refeições, entrada de Machu Picchu, guia e trem de retorno.

Saiba todas as informações de Machu Picchu

Veja como foi meu roteiro de 24 dias pelo Peru e Bolívia aqui 

Posts relacionados

4 Comentários

Tudo sobre o Vale Sagrado, um passeio imperdível saindo de Cusco | Ecdemomania 26/05/2014 - 16:49

[…] até lá, você precisa primeiro passar pela cidade que fica aos pés da montanha, Aguas Calientes. Saiba as formas de se chegar lá para todos os gostos, desde aventureiros até quem quer luxo e conf…. A entrada de Machu Picchu não está inclusa no Boleto Turístico e não faz parte dos passeios do […]

Reply
Machu Picchu | Ecdemomania 26/05/2014 - 18:17

[…] Como ir? Para visitar Machu Picchu é preciso ir para Aguas Calientes antes, que é uma pequena cidade próxima de Cusco. Neste post dou dicas de cinco formas de se chegar na cidade. […]

Reply
Aguas Calientes, a porta de entrada para Machu Picchu | Ecdemomania 28/05/2014 - 21:55

[…] Como ir? Saiba cinco formas de se chegar em Aguas Calientes neste post […]

Reply
Guia de Machu Picchu, a cidade perdida do Império Inca – Gira Mundo 09/04/2017 - 22:43

[…] Neste post dou dicas de cinco formas de se chegar na cidade. […]

Reply

Deixar um comentário

EnglishFrenchPortugueseSpanish