Home Américas Uma ilha fora dos tempos modernos no Lago Titicaca

Uma ilha fora dos tempos modernos no Lago Titicaca

por Gabriela Mendes
Lago-Titicaca-Peru-Isla-Amantani

Às 15h acordo com o barco parando em um cais. Quando o nosso grupo sai, vemos várias mulheres com roupas típicas, mas bem diferentes de todas as outras que nós vimos no Peru. Elas são sorridentes e muito pequenas. Nos encaram com olhos curiosos, só não mais curiosos que os meus. A roupa tem um bordado delicado e bem colorido, com um véu preto cheio de flores na ponta. São os homens, com as mãos calejadas do trabalho braçal, que as produzem. Tamanha delicadeza demora meses para ficar pronta e é dada de presente para a mulher da casa.

editadaDSC_0117
Chegamos à Ilha Amantani, um destino pouco conhecido por quem visita o Lago Titicaca. Por ser mais longe (3h30 de viagem), não é uma opção para a maioria dos turistas, que prefere conhecer só as famosas Ilhas de Uros e Ilha de Taquile. Mas, por ser tão rústico, esse lugar me despertou mais interesse do que os outros.

Cada grupo foi designado a uma mulher. A nossa se chamava Maruja e ela não falava muito. Fomos subindo pelo chão de terra, observando aquele ambiente bucólico e bem simples. Ela nos levou a sua casa, mostrou nosso quarto e saiu sem falar nada. O cômodo se chocava com o resto da casa. Pintado, com camas confortáveis e janelas amplas. O resto era todo de barro, sem pintura, e mostrava a realidade vivida ali.

natal2

Ouvimos Maruja nos chamando para o almoço em um espanhol enrolado. Descemos e a mesa estava posta só para nós dois. Um pratinho de barro com sopa de quinoa bem caseira. A população da Ilha é, na sua maioria, vegetariana e todos os produtos são tirados da horta de cada família. A sopa foi seguida de um prato com um queijo frito (que parecia queijo coalho), batatas e milho. No final, um chá de muña para fazer a digestão. Tipicamente peruano.

Antes do sol se pôr, nosso guia foi nos buscar e eu tive uma das vistas mais lindas que eu já vi na vida. A subida foi cansativa, pois estávamos a quase 4mil metros de altitude e, quando chegamos lá, a surpresa: estávamos no ponto mais alto do Lago Titicaca. O passeio ainda contava com ruínas usadas para cultos xamãnicos e um pôr do sol de tirar o fôlego. O sol queimava nas montanhas à medida que ia desaparecendo, deixando tudo laranja.

DSC_0159

Quando o sol se põe está na hora de pegar as lanternas.A ilha não tem energia elétrica. Descemos com dificuldade. Os olhos da cidade não conseguem ver nada além da escuridão. Encontramos nossa anfitriã e o jantar está pronto. Sopa de milho e arroz com legumes. Chá para digestão. Descobrimos que comida tem um sabor especial porque tudo é feito no fogão à lenha. Percebemos duas novas pessoas na casa, uma senhora e uma menina. Elas não falam espanhol. Na ilha ainda se fala quechua, a antiga língua do império Inca. A menina, que se chama Lady Veronica, fala um pouco de castelhano que aprende na escola.

Ela sobe com a gente para o quarto e fica brincando com as sombras da luz da vela. Isso fez com que a gente relembrasse nossa infância, quando a imaginação tomava conta e tinha o poder de transformar tudo em brincadeira. Quando Veronica foi dormir, ficamos pensando: “e agora, o que fazer? Ainda são 9 da noite…”.

DSC_0175

Um dia sem luz pode ser uma oportunidade de realmente ouvir o silêncio da natureza que está em volta… e ouvir nossa própria mente. Quando começa a chover, sentimos como se os trovões estivessem dentro do quarto e que era a maior tempestade que nós pegamos na vida. Quando era apenas o verdadeiro barulho de uma forte chuva… que nós nunca tínhamos escutado de verdade.

Deixamos a Amantani com um sentimento de pureza. Um dia sem barulhos, poluição e venenos urbanos. Uma experiência que todos deveriam buscar para conhecer a si próprios e para aprender a ouvir a natureza.

DSC_0126

Saiba todas as dicas para fazer o passeio pelo Lago Titicaca

Posts relacionados

2 Comentários

Puno, a cidade que guarda o Lago Titicaca | Ecdemomania 04/06/2014 - 12:23

[…] Isla de Uros e Isla Taquile. Como nós queríamos aproveitar um pouco mais, decidimos dormir na Isla Amantani, que é a menos turística, mas guarda a tradição de um povoado que ainda vive fora dos tempos […]

Reply
Puno, a cidade que guarda o Lago Titicaca – Gira Mundo 09/04/2017 - 23:23

[…] Saiba como foi minha experiência na Ilha Amantani aqui […]

Reply

Deixar um comentário

pt_BRPT_BR
en_USEN pt_BRPT_BR