Home Ásia Outros passeios em Siem Reap, além de Angkor

Outros passeios em Siem Reap, além de Angkor

por Ursulla Lodi
Outros passeios em Siem Reap, além de Angkor

Apesar da principal atração de Siem Reap e do Camboja ser os templos e as ruínas de Angkor, além dos limites de sua zona arqueológica, a cidade oferece muitas outras atrações que permitem uma imersão cultural maior com a cultura cambojana e história do povo Khmer, sendo um ótimo complemento para sua visita!

Saindo do básico em Siem Reap:

1. Visita às vilas flutuantes do lago Tonle Sap

Esse foi um dos passeios que mais gostei na viagem ao Camboja, por mostrar um pouco mais da realidade humilde e cenas do cotidiano da floating village Chong Khneas. Chegamos um pouco antes do por do sol na beira do porto do lago Tonle Sap, onde fechamos um barco privativo pagando cerca de U$15 por pessoa.

4

No caminho para vila nos contaram como aquela comunidade sobrevive apenas à base de doações e do turismo no lago e perguntaram se nós gostaríamos e poderíamos doar alimentos, sobretudo arroz, comprados na própria venda local.

Bem verdade, que o preços do mercadinho da vila eram bem inflacionados. Mas, como acredito no turismo como ferramenta de mudança social em que temos que dar e receber – sobretudo em um país como o Camboja que tenta se reconstruir de seu passado tão triste – achamos que não nos custava fazer uma doação de um saco de arroz para a escola local. Destaco que, no entanto, está doação não é obrigatória! Se você estiver com o dinheiro contado, tudo bem não fazer.

Ganhamos em troca estas cenas maravilhosas da saída da escolinha, super fofa.

3

Logo depois seguimos no barco vendo as casinhas da vila, igrejinha, pessoas circulando em suas canoas, até chegarmos no melhor ponto para observar um por do sol incrível!

2. Angkor National Museum

A visita ao Angkor National Museum é uma válida introdução às glórias do império Khmer, que certamente, complementará a sua visita à zona arqueológica de Angkor! O acervo não é tão grande, mas ajudara a aclarar a história desta civilização, fornecendo muitos detalhes de seu contexto religioso, econômico-social e político. O destaque é a sala dos 1000 Budas. Os ingressos custam U$12 e o horário de funcionamento é das 8:30 -18:00.

10-3

3. Visita ao Artisans d’Angkor

O Artisans d’Angkor é um negócio social fundado em 1992, que visa a geração de empregos para populações carentes das zonas rurais do país através do ensino e preservação de habilidades artesãs tradicionais do povo Khmer – como escultura em pedra e madeira, feitura de joias e outros trabalhos em prata, seda e pinturas em laca.

Mesmo que você não queira comprar nenhum dos produtos que são lindos de morrer, vale a pena conhecer o projeto, cuja visita guiada mostra todas as etapas da produção destes artesanatos, mostrando as técnicas cambojanas empregadas. Quando visitamos, demos a sorte de ter uma simpática guia que falava português. A visita é gratuita. Horários 7:30 -18:30.

4. Templos fora da zona arqueológica de Angkor

Saímos da província de Siem Reap para conhecer o precioso templo Banteay Srei – de detalhada ornamentação hindu, em tons terrosos (um dos templos mais lindos!) – o Koh Ker, que oferece uma bela vista do alto de sua pirâmide, e o  gigantesco Beng Mealea, que parece um verdadeiro labirinto.

2

Como o Koh Ker fica bem afastado, dispensaria sua visita substituindo-a pelo Cambodia Landmine Museum, que fica próximo do Banteay Srei.

5. Cambodia Landmine Museum

O triste passado recente do Camboja não está em seus templos. Se você não vai visitar a capital do país, Phnom Penh, que guarda os horrores do regime de Pol Pot, pode ser bem interessante conhecer o Landmine Museum. Seu proprietário e acervista, Aki Ra, quando criança, foi obrigado pelo Khmer Vermelho a espalhar minas terrestres pelo Camboja, dedicando toda sua vida adulta a limpar o solo do país dos explosivos.

Os ingressos custam U$2 e o horário de funcionamento é das 7:30 -17:00.  A visita a este museu pode e deve ser combinada com os templos fora da zona arqueológica de Angkor que mencionei acima, pois fica a 6km do templo Banteay Srei.

6. Mercados

Siem Reap conta com alguns mercados bem interessantes como o Old Market – mercado de alimentos em que comprei várias frutinhas bem diferentes – e o Night Market, onde podemos ver muitos artesanatos, dar uma voltinha e comer uma street food de jantar. Confira você também! 🙂

market

7. Aulas de Culinária

Já pensou em aprender o preparo do amok fish? Ou da papaya salad? Se você curte cozinhar ou apenas quer aprender um pouco mais sobre os pratos e ingredientes típicos do Camboja, pode ser bem legal se aventurar em uma cooking class. As aulas que normalmente duram meio dia, incluem visita ao mercado e o preparo e degustação de vários pratos, que podem ser escolhidos pelos alunos previamente.

8. Danças típicas

Não deixe de conhecer a Apsara, uma tradicional arte de origem religiosa. Apesar de praticada há mais de mil anos, a dança foi considerada burguesa durante os anos de regime do Khmer Rouge, quando o Royal Ballet do Camboja foi fechado. Inclusive, diversos bailarinos foram perseguidos, presos em campos de trabalho forçado ou assassinados.

A Apsara tem suas origens em narrativas mitológicas do hinduísmo, onde ninfas angelicais dançavam para homens e deuses. As oito diferentes posições da mão representam o ciclo da vida, com a fecundação de uma nova planta. Interpretada individualmente ou em grupos, a dança é uma coreografia lenta embalada pelo som de xilofone, percussão e flauta.

Existem muitos espaços e restaurantes em Siem Reap em que podemos jantar e ver apresentações desta bela dança, o que pode ser muito turístico ou mais tradicional, em um cantinho menor. Pergunte na recepção do seu hotel.

9. Pub Street

Dificilmente você escapará de passar ao menos uma noite por aqui, já que é a rua principal e mais turística de Siem Reap. Na Pub Street, além de encontrarmos bons restaurantes, podemos ver bizarrices, como barraquinhas que vendem cobras e insetos em espetinhos, e outros quitutes da street food local como cocos gigantes, e crepes, influência da colonização francesa.

pub

10. Massagens 

Siem Reap conta com vários pequenos spas onde podemos fazer massagens por um precinho bem em conta! Uma hora de massagem custa em torno de U$7. Ideal para relaxar o corpo depois de um dia andando em sítios arqueológicos!

Outras dicas

Uma dica legal para conhecer um pouco da realidade do Camboja de verdade, para além das ruínas de Angkor, é o passeio Coutryside life tour oferecido pela Vespa Adventures que inclui guia e uma aventura de um dia na garupa de uma scooter passando pelo interior de Siem Reap, mercados, engenhos de açúcar de palma, templos e pequenos produtores. Infelizmente não tive tempo de fazer, mas vi muitos elogios sobre.

Como você viu, Siem Reap oferece muito ao seu turista. Para tanto, se você quer explorar a cidade, recomendo não passar por aqui com os dias contados, venha sem pressa, ficando ao menos quatro noites.

Conforme falei em outros posts, para ir até a vila flutuante do lago Tonle Sap e para os templos que ficam fora da província, contratamos o serviço de um motorista que virou nosso amigo, o Keo. Recomendo bastante os serviços dele!

Contato Keo Sophal: (85)51243-4187 – ele responde Whats App em inglês ou francês e pode combinar um pacote com você, já te pegando no aeroporto. 🙂

Gostou desse post? Veja também:

Guia da Zona Arqueológica de Angkor, em Siem Reap, Camboja
Uma viagem pelo Camboja
Bom giro! 🙂

Posts relacionados

Deixar um comentário

pt_BRPT_BR
en_USEN pt_BRPT_BR